Em 2017, um misterioso objeto vai passar pela Terra; os cientistas estão confusos devido ao seu comportamento anômalo !

21/05/2016 13:27

Em 2017, um misterioso objeto vai passar pela Terra; os cientistas estão confusos devido ao seu comportamento anômalo. A velocidade do objeto misterioso não faz sentido, uma vez que continua a se mover a uma velocidade variável, o que significa que ele acelera e desacelera gradualmente.

 
 
 
 
O objeto foi descoberto no início de novembro em 1991 pelo astrônomo James Scotti da Universidade do Arizona. Mas existem inúmeros objetos celestes que estão sendo rastreados e descobertos a cada dia por astrônomos. No entanto, esse objeto em particular tinha irregularidades suficientes para a comunidade científica tomar notas e deixar algumas observações interessantes sobre. O objeto referido como 1991VG tem apenas 10 metros de diâmetro, e ja junta uma grande quantidade de misterios.  Bem, a ideia de que o objeto "poderia" pertencer a uma civilização alienígena avançada veio depois que pesquisadores identificaram várias características estranhas relacionadas com 1991VG.
 
O objeto mistério tem uma órbita heliocêntrica que se estende além da borda da nossa galáxia. No entanto, os objetos no espaço com um diâmetro semelhante ao do 1991VG normalmente não se comportam dessa forma. O que ainda é mais estranho é que a velocidade  padrão do 1991VG não faz sentido, ja que ele aparentemente sofre algumas mudanças,  o que significa que ele acelera e desacelera gradualmente, o que é incrivel !!
 
Depois que os pesquisadores haviam previsto a órbita inicial do objeto, os cientistas perceberam que o objeto passou perto da Terra em 1975. Os cientistas concluíram que o tempo que o objeto levou é extremamente anomalo, se comparado com outros objetos naturais ja observados na galaxia . 
 
Além disso, os pesquisadores concluíram que o objeto tinha uma volta de rotação estranha e seu brilho varia ao longo do tempo. Muitos acreditam que o maior mistério por trás 1991VG é a variação luminescente. Todas as anomalias combinadas tornam extremamente difícil para os pesquisadores identificar a natureza do objeto. Os cientistas são incapazes de concordar com uma única teoria .
 
Entre as numerosas teorias, e devido à incerteza da origem do objeto, combinado com a variação anómala no brilho do objeto em imagens obtidas durante a sua passagem perto da Terra em 1991, alguns têm especulado que 1991VG poderia ser um tanque de combustível de foguete gasto, ou um corpo de foguete de um satélite lançado durante a década de 1970, a partir da missão Apollo. Porem, nenhuma das explicações anteriormente mencionados no entanto parece explicar as anomalias que aconteceram com o misterioso objeto, logo poderiam ser facilmente descartadas .
 
Embora neste momento o objeto poderia ser qualquer coisa, a teoria mais popular em questão a tudo que ja foi apresentado é que pode ser algo "extraterrestre", e com tudo que ja foi reunido, é algo que não pode ser descartado . 
 
Entre as numerosas teorias propostas, existe uma possibilidade de que o objeto misterioso, na verdade, seja uma sonda extraterrestres. De acordo com Duncan Steel, um astrônomo da Universidade de Adelaide, na Austrália, 1991 VG poderia realmente ser uma "sonda alienígena observada nas proximidades do nosso planeta." No entanto, em outras entrevistas, Duncan afirmou que não está muito convencido de que VG 1991 é de origem extraterrestre. Mesmo assim as pessoas ainda não pararam de especular que seja algo realmente extraordinario que esteja vindo . 
 
Mas e se for de natureza extraterrestre? poderíamos identificá-lo? Ou até mesmo entendê-lo? E se o objeto for feito de tecnologia altamente avançada? Poderíamos identificá-lo?
 
De acordo com dois matemáticos da  Universidade de Edimburgo, é muito possível que haja sondas extraterrestres que operam dentro do nosso sistema solar. Duncan Forgan e Arwen Nicholson sugerem que não podemos descartar a possibilidade de que existem naves extraterrestres dentro do nosso sistema solar. Os matemáticos usam o ​​poder de computação para informar suas previsões. Os dois matemáticos analisaram a possibilidade de que as sondas poderiam viajar através do espaço, em um estudo publicado no Journal of Astrobiology.