O Mistério do Caso de Blackwood

19/01/2016 14:13
 
 
 
Em outubro de 1978, Jim Blackwood, um policial da Real Polícia Montada do Canadá (RCMP – sigla em inglês), respondeu a um chamado a respeito de um estranho objeto na costa de Clarenville, uma cidade Canadense na costa leste de Newfoundland, na província de Newfoundland e Labrador.  Quando ele chegou lá, junto com aproximadamente uma dúzia de outras testemunhas, viu algo que não pôde ser explicado.  Blackwood recentemente publicou uma entrevista de TV de 1978, na qual ele descreve o incidente.
 
De acordo com o jornal canadense, The Packet, Blackwood agora está aposentado e vivendo na Nova Escócia.  Notícias do avistamento receberam muita atenção da imprensa, causando com que Blackwood fosse ridicularizado por anos.  Desde que deixou Clarenville, ele diz que raramente fala sobre o assunto.
 
Porém, recentemente ele conversou com o The Packet, e em maio deste ano publicou uma entrevista no YouTube
 
Blackwood tinha 25 anos na época do incidente.  Quando ele alcançou o local das testemunhas, ele diz que havia aproximadamente uma dúzia de moradores lá agregados.
 
"Fui até lá e a nave estava pairando entre Clarenville e a Ilha Random, bem sobre a água.  Estava a somente poucos metros da água.  Ficou lá por umas boas duas horas, antes de partir" , disse Blackwood para o The Packet
 
Blackwood disse ter ligado as luzes do teto de seu veículo e o OVNI ligou as suas também.
 
Entre as testemunhas estava Chester Lethbridge e sua esposa.  Eles tinham estado observando o objeto com binóculos e não acharam que o ato de ascender as luzes tenha sido uma boa ideia.  Eles perguntaram a Blackwood o porquê dele ter feito isso, e ele respondeu que estava tentando contato.
 
Blackwood diz, “[Lethbridge] disse que não queria fazer contato, e que ele não queria saber o que estava lá e então deixou o local“.
 
De acordo com o The Packet, “usando um telescópio especial para a vigilância de drogas, Blackwood, que uma vez foi cético, tinha uma vista ampliada de algo que não podia explicar aquele dia“.
 
 
Entrevista original do Policial 
 
“Chester tinha binóculos. Mas esta coisa era muito melhor, com uma ampliação de 60 vezes.  Eu o vi bem de perto.  Ele não se aproximou de nós e quando começou a ir embora, subiu lentamente, levando muito tempo para subir – então ‘vroom’ – desapareceu como um meteoro“, disse Blackwood para o The Packet.
 
Blackwood descreve o objeto como tendo o formato de charuto, e fez um croqui de seu formato, que pode ser visto na entrevista de 1978.
 
Ele diz ser um entusiasta de aeronaves e que estima o tamanho do objeto como sendo tão grande quanto um Boeing 737.
 
“Estou familiarizado com aeronaves de todos os formatos e tamanhos.  Mas o metal no objeto não era como uma aeronave metálica.  Ele era fosco e não brilhava de forma alguma.  Tinha a aparência áspera” disse ele. “A tecnologia era muito além do que tínhamos na época e ainda muito além do que temos agora.”
 
Blackwood diz que após o avistamento ele não viu o OVNI novamente.  Porém, ele tinha recebido relatos de OVNIs antes do avistamento ter começado.
 
“Naquela época, em particular, houve um voo de Jordan para Toronto, que acabou o vendo, e o objeto foi captado pelo radar em Gander.  Foi um grande assunto na época”, disse Blackwood.
 
Ele ficou hesitante em falar sobre o avistamento após o evento, pois não queria ser ridicularizado.  Porém, uma vez que a imprensa soube da história, pedidos de entrevista começaram a vir e ele foi instruído pelos seus superiores a aceitar todos.
 
“Por duas semanas inteiras tudo que fiz foi responder os telefonemas e receber por isto.  Foi na CBC, NTV e BBC…”, disse Blackwood.
 
Clarenville se tornou famosa por seu avistamento de OVNI. O time de hóquei mudou seu nome para Clarenville UFOs e os comerciantes locais começaram a ter liquidações com tema de OVNIs e alienígenas.
 
O Conselho de Pesquisa Nacional, em Ottawa, cujas instalações de pesquisa da atmosfera superior foi responsável pelos relatos de OVNIs, sugeriu que o objeto poderia ter sido Júpiter.  Blackwood discorda.
 
“…Ele tinha esta grande explicação, mas ele não falou comigo, nem com qualquer das outras 12 testemunhas“, disse Blackwood para o The Packet. “Ele simplesmente presumiu isto por si mesmo.  Havia um cara escrevendo um documento sobre isto.  Eu disse a ele o que pensava dele.  Como poderia um planeta lançar uma sombra sobre a água?  Como pode ele chegar tão próximo, ao ponto de bloquear a visão da Ilha Randon?”
 
Embora Blackwood nunca descobriu o que era o objeto que viu aquela noite, ele diz que não se tornou um entusiasta de OVNIs.  Ocasionalmente ele recebe telefonemas de pesquisadores de OVNIs, e que participou de um episódio de um programa de TV chamado Close Encounters. Porém, ele diz que o avistamento trouxe mais sofrimento do que valeu a pena.
 
 

Video de outro caso ufologico semelhante "Caso Bell UH-1"