O Assombrado Farol de Santo Agostinho

05/04/2015 11:24
O original farol de Santo Agostinho foi primeiramente construído por colonos espanhóis durante os anos de  1600. Em 1824, tornou-se um farol oficial dos E.U.A em uma das cidades mais antigas da América do Norte: St. Augustine, Flórida. Na época, o assombrado farol foi construído em 1874 e substituiu o anterior original (que ficava localizado 1 / 4 milhas de distância), e foi destruído devido à erosão das marés. O farol anterior tinha uma tragédia: o faroleiro, Sr. Andreu ,caiu fatalmente enquanto pintava a parte externa da torre.
 
O governo dos E.U.A construiu o atual farol através da compra de lotes de terra de vários colonos. Um dos proprietários, o Dr. Ballard, que “grilava” as terras dos seus vizinhos , é uma dos fantasmas de aparecimento relatado pelos guias turísticos do local.Possivelmente, o Dr. Ballard ou mesmo o Sr. Andreu continuam a assombrar o farol de Santo Agostinho, mas há outras histórias de tragédias associadas ao farol assombrado.
 
As filhas de Hezekia Pittee, juntamente com uma garota Afro-Americana, morreram afogadas quando o carrinho em que estavam brincando, construído para transportar suprimentos a partir navios até o farol, descarrilou. Há relatos fantasmagóricos de meninas sendo avistadas no Farol de Santo Agostinho, mas não há maneira de saber se são ou não as meninas ou sua amiga. Na verdade, ninguém relata o espírito de uma terceira garota sendo visto. O relato mais fiel tem sido o da aparição de uma única menina.
 
Um antigo zelador relatou que, por muitas vezes,escutou passos o seguindo durante a sua ronda,e também notou o cheiro de fumaça de charuto, possivelmente de um antigo faroleiro que lhe fôra mentor. O cheiro da fumaça de charuto tem sido notado por muitos visitantes, geralmente dentro do farol torre. Talvez um dos antigos zeladores ainda esteja cuidando do farol.
 
O assombrado Farol de Santo Agostinho tem outras histórias para contar. Houve um momento em que a Casa do Zelador estava sendo alugada como apartamentos. Os locatários relataram terem visto uma menina vestida roupas antigas que aparece e desaparece em seguida. Várias testemunhas de boa reputação viram uma menina dentro e na nas imediações da casa, na maioria das vezes, perto de uma janela na parte de cima. O último faroleiro (durante a década de 1950) se recusou a viver na casa e negociou a troca de lugar com um Soldado da Guarda Costeira,  que tinham sido transferido ao quartel no local. A irmã do Soldado relatou em carta histórias de como ela e o irmão riam do medo do zelador de ouvir passos na andar de cima.
 
Outra figura também foi vista na Caverna da Casa do Zelador, e foi apelidado, "O Homem de Azul". Quando a loja do farol foi construída no local ,os trabalhadores também acreditaram que um fantasma , que tinham apelidado de "André",  foi a causa de uma atividade de poltergeist. 
 
 
A torre do Farol em si também é assombrada, muitos têm testemunhado escutar tanto vozes como passos no seu interior. Os empregados têm relatado encontrar a porta de cima no alto da torre destrancada, embora tivesse sido trancada na noite anterior. 
 
Parece que caminhar através da propriedade durante a noite pode assustar alguns, pois pegadas e as vozes são comumente vistas e ouvidas por vizinhos do assombrado Farol de Santo Agostinho.
 
FONTE: Angels and Ghosts