Mais de 150 pinturas rupestres que datam de 2000 aC são encontradas no Chile

29/08/2016 10:14
 
 
 
Acredita-se que a arte rupestre foi muito utilizada por nossos ancestrais para marcar território.
 
Por cerca de cinco anos, os pesquisadores estão meticulosamente analisando a arte encontrada na rocha no Vale do Limari, no centro-norte do Chile.
 
Os pesquisadores argumentam que a descoberta de vestígios deste tipo de linguagem visual, criada há milhares de anos pelos habitantes da América Latina, tem se mostrado extremamente complexa.
 
Infelizmente, devido à passagem do tempo e as condições meteorológicas, a região vem sendo fortemente afetada, as antigas pinturas vão se deteriorado e consequentemente ficando quase impossíveis de serem identificadas a olho nu.
 
No entanto, a tecnologia está lá para salvar o dia mais uma vez.
 
Graças as câmeras de alta resolução e um software especializado, os especialistas foram capazes de detectar a presença das pinturas que quase desapareceram.
 
Mais de 150 peças de arte rupestre ja foram encontradas graças aos equipamentos especializados usados pelos pesquisadores.
 
A área onde a arte rupestre foi encontrada é uma vasta área localizada a cerca de 400 quilômetros de Santiago (Chile), ao sul do deserto do Atacama.
 
Como parte do estudo, os especialistas capturaram numerosas imagens das rochas onde eles acreditam que a arte rupestre esta presente. Em seguida, com a ajuda de "software DStretch'' foram analisadas varias imagens.
 
DStretch é capaz de detectar cores e padrões que são quase impossíveis de ver a olho nu.
 
"Este programa tem algoritmos pré-definidos para trabalhar com arte rupestre", diz o líder do estudo Andres Troncoso, um arqueólogo da Universidade do Chile.
 
Arte rupestre na região do Chile 
 
"Estas novas tecnologias estão nos permitindo dar conta de um universo de representações que eram pouco conhecidas, já que o estado destas pinturas eram muito ruins", diz Marcela Sepulveda, um arqueólogo da Universidade de Tarapaca.
 
Entre as inúmeras imagens capturadas por pesquisadores, especialistas apontam para aquelas onde possivelmente ainda poderiam encontrar algum tipo de evidência arqueológica como vestígios de pigmento.
 
Os cientistas também consideraram desenhos que eram consistentes com a arte rupestre já conhecida na área, que sem dúvida haviam sido produzidas pelo homem.
 
A arte rupestre descoberta ilustra principalmente, linhas, círculos, e quadrados pintados em cores diferentes.
 
Os pesquisadores especulam que os diferentes pigmentos foram obtidos através do uso de minerais encontrados na área, combinados com algum tipo de gordura animal, embora estudos futuros devam determinar mais sobre isso.
 
Além disso, os pesquisadores não tem certeza quanto ao tipo de ferramenta que foi utilizada pelos caçadores para fazer as pinturas. Os especialistas especulam que escovas, dedos ou uma combinação de ambas as técnicas poderia ter sido usada.
 
"Tivemos sorte que as pinturas pretas foram feitas com carvão", diz Troncoso. Graças a isso, os pesquisadores foram capazes de realizar análises de radiocarbono para datar as pinturas com mais precisão. "Se você olhar para a literatura arqueológica a nível mundial, há poucas datas absolutas para arte rupestre", explica ele, enfatizando a importância deste achado.