Henrietta Lacks: A mulher imortal

03/03/2015 15:11
Células da HeLa coloridas artificialmente por laboratório
 
Eu não acho que isto seja um conto, lenda urbana ou muito menos um relato, é a história de uma mulher considerada imortal pelos cientistas. Esta é Henrietta Lacks, nascida em 1 de Agosto de 1920, descendente de escravos, trabalhava como lavradora de tabaco, tinha uma vida de classe baixa e sempre escondia da família dores no útero que depois descobriram os médicos que era um tumor e que a mulher estava em estado terminal prestes a morrer.
Os médicos descobriram algo muito anormal (na verdade o "anormal" apenas aconteceu neste caso) o tumor produzia metástases (nova geração de células malignas feita por um tumor) anormalmente rápidas. Assim, sem a autorização da Sra. Lacks, retiraram parte do tumor para estudos, a Sra. Lacks logo depois morreu... ou ao menos grande parte dela, as células retiradas pelos cientistas que deveriam morrer dias depois, ainda não morreram. Contiuaram se reproduzindo como se ainda estivessem no corpo de origem! Até hoje tais células continuam vivas e se reproduzindo. Já foram formados tecidos vivos com elas, experimentos sobre doenças etc. As células imortais foram chamadas de HeLa  em homenagem à pessoa que as deu origem: Henrieta Lacks, a mulher com células imortais.
 
 

Fonte