Imagens inacreditaveis: a Atlântida que emergiu das águas do Nilo

28/05/2016 11:29

Uma das exposições mais esperadas dos últimos tempos acontecerá em Londres, quando serão exibidos mais de 200 objetos achados em incrível estado de conservação, emergidos das profundidades do Nilo.

 
 
 
 
Por volta do ano 2000, o arqueólogo subaquático Franck Goddio encontrou os restos de uma “Atlântida egípcia” nas profundezas do lendário rio Nilo. São as cidades de Thonis-Heracleion e Canopo, submersas há mais de mil anos no mediterrâneo.
 
A antiga cidade foi fundada há quase 3.000 anos, no local da atual  Baía de Abu Qir, Egito  a 15 milhas a nordeste de Alexandria. Hoje permanece submersa sob 150 pés de água.
 
Sua beleza, incomparável é apenas parte da incrível história que engloba esta antiga cidade. Por séculos se pensou ser apenas uma lenda assim como Atlantida, segundo Heródoto era uma cidade de extraordinária riqueza.
 
Até agora, os especialistas recuperaram estátuas gigantes de 16 pés e encontraram centenas de estátuas menores de deuses espalhados no fundo do mar. Dezenas de pequenos sarcófagos de calcário também foram recentemente descobertos por mergulhadores, e acredita-se que tenham contido animais mumificados, colocados lá para apaziguar os deuses.
 
Segundo os especialistas, os objetos encontrados mudarão nossa compreensão sobre as histórias grega e egípcia. São mais de 200 itens muito bem conservados, entre os quais está uma estátua de granito de cinco metros e meio de altura, correspondente ao deus egípcio Hapi, e uma estátua da deusa Isis, datada de 1.200 anos de idade.
 
No entanto, os arqueólogos acreditam que, até o momento, foram descobertos apenas 5% dos objetos enterrados debaixo do rio. “As cidades submersas são tão grandes que fazem Pompeia parecer pequena”, afirmou Goddio.