Foram encontradas misteriosas câmaras secretas dentro da Grande Pirâmide de Gizé

20/10/2016 15:18

Os cientistas relataram que eles 'encontraram' o que parece ser duas câmaras secretas localizadas no interior da Grande Pirâmide de Gizé. Esta descoberta prova o quão misteriosa essa estrutura enigmática realmente pode ser. 

 
 
 
Especialistas encontraram as cavidades misteriosas depois de executar um tipo de digitalização nunca vista antes na antiga estrutura, usando uma nova tecnologia revolucionária.
 
Pesquisadores 'confirmaram' a presença de uma cavidade desconhecida no canto nordeste, e a existência de um espaço desconhecido na "porta de entrada" para a Grande Pirâmide.
 
A Grande Pirâmide de Gizé se acreditava ter sido construída pelo faraó Khufu a cerca de 4.500 anos atrás. Ao longo da história, este antigo monumento se tornou um dos maiores mistérios da atualidade.
 
"... Estamos agora em condições de confirmar a existência de um 'vazio' escondido atrás da parte norte, que pode ter a forma de um corredor que levaria para dentro da Grande Pirâmide ..."
 
 
Estima-se que a pirâmide tenha em torno de 2.300.000 blocos de pedra que pesam entre duas a trinta toneladas cada uma (existem alguns blocos que chegam a pesar mais de 50 toneladas). Acredita-se que o manto exterior foi constituído com 144.000 pedras de revestimento, todas elas extremamente polidas e planas com uma precisão incrível,  pesando aprox. 15 toneladas cada.
 
Foi originalmente coberta com revestimento de pedras de calcário. Estas pedras usadas no revestimento refletiam a luz do sol fazendo a pirâmide brilhar como uma jóia. 
 
Calcula-se que a pirâmide original com suas pedras de revestimento agiriam como espelhos gigantes e refletiriam uma luz tão poderosa que seria visível da lua como uma estrela que brilha na terra. Apropriadamente, os antigos egípcios chamavam a Grande Pirâmide de "Ikhet", que significa "luz gloriosa."
 
Como esses blocos foram transportados e montados na pirâmide ainda é um dos maiores mistérios até hoje.
 
O coordenador da "ScanPyramids" , Hani Helal, disse que "mais estudos e pesquisas serão conduzidos para estabelecer a natureza dessas anomalias, suas funções e dimensões, que ainda não foram identificadas." 
 
 
Os pesquisadores utilizaram, pela primeira vez, três técnicas complementares: Muography, termografia, e simulação 3D para a 'digitalização' da Grande Pirâmide de Gizé. De acordo com especialistas, "muography" pode detectar varios espaços vazios dentro das espessas camadas de terra ou de pedra. 
 
Por enquanto, os pesquisadores dizem que essas anomalias são apenas isso e que mais testes terão de ser realizados a fim de concluir o que exatamente esta dentro da pirâmide.

 

Fonte