Evidências de eventos cataclísmicos, milhares de anos atrás?

20/05/2017 13:52

Em todo o mundo, há cidades afundadas. Algumas foram encontradas, outras permanecem envolvidas em grandes mistérios e lendas. No entanto, em todos os cantos do nosso planeta, vamos encontrar evidências de cidades que desmoronaram e foram devoradas pelo oceano. Existem mais de 200 cidades afundadas conhecidas só no Mediterrâneo. Estamos sem duvida olhando para os restos de cidades antigas que não deveriam existir segundo a arqueologia mainstream.
 
Abrangendo mais de 71% do planeta, os oceanos da Terra são um mistério vasto e em grande parte inexplorado e ainda hoje temos problemas para acessar e mapear o fundo deles. Antigamente se achava que o homem só poderia adivinhar o que estava por baixo da superfície do oceano, mas graças à tecnologia de hoje, somos capazes de explorar nossos oceanos com o maior detalhe possivel.
 
Hoje temos equipamentos que podem acessar áreas e profundidades que há alguns anos eram inacessíveis para nós e só poderíamos adivinhar o que realmente estava lá embaixo, quantos mundos submarinos incríveis estavam nos esperando para serem encontrados.
 
Na verdade, até agora, exploramos menos de cinco por cento do oceano. Resta muito a aprender com as explorações oceanicas. O oceano é a força vital da Terra, cobrindo mais de 70% da superfície do planeta, conduzindo o tempo, regulando a temperatura e, finalmente, apoiando todos os organismos vivos.
 
A teoria científica sugere que durante a última Idade do Gelo da Terra, os níveis dos oceanos eram muito mais baixos do que são hoje. 
 
 "(...) sabemos que o gelo começou a derreter há cerca de 21 mil anos e terminou de derreter há cerca de 10 mil anos. "- Graham Hancock
 
Grandes áreas foram perdidos para o mar, litorais foram submersos pela quantidade crescente de água. 
 
 "Dez milhões de quilômetros quadrados de terra foram inundados em todo o mundo, essa área de terra simplesmente desapareceu da história, levando tudo com ele." - Graham Hancock
 
Filósofos e cientistas ao longo da história foram atraídos para um dos maiores mistérios do mar, a lenda da cidade perdida de Atlântida. A maior parte do que sabemos vem do filósofo grego Platão, que escreveu dois livros sobre a Atlântida, o Timeu e o Critias. 
 
Platão descreveu a Atlântida como uma cidade altamente avançada, cercada por muros concêntricos, que floresceram 9.000 anos antes de seu próprio tempo. Acredita-se que Atlântida tinha enormes forças navais, que costumavam conquistar outras partes do mundo. 
 
De acordo com a lenda, depois de uma tentativa fracassada de invadir Atenas, um desastre atingiu a ilha e, segundo o filósofo grego Platão, Atlântida foi destruído em um dia e uma noite.
 
 
A localização verdadeira de Atlântida ainda hoje permanece um mistério, e mesmo que muitos arqueólogos possam alegar ter encontrado a cidade, nenhuma evidência conclusiva do local foi fornecida para apoiar qualquer descoberta. De acordo com Platão Atlântida estava localizada na frente dos Pilares de Hércules.
 
De acordo com Platão, Atlântida foi protegida pelo deus Poseidon que fez seu filho Atlas rei desta terra mítica. Os atlantes cresceram poderosos, mas sofreram com a ética; Com seus grandes exércitos e sua tecnologia, á frente de qualquer outra, eles conseguiram conquistar a África até o Egito e a Europa indo até a Itália. De acordo com uma teoria, foi por um castigo divino que a "ilha-continente" afundou; Em um dia e uma noite.
 
Curiosamente, de acordo com 'Atlantis Rising', a descoberta de maciças 'âncoras de pedra' localizadas no Estreito de Gibraltar sugerem fortemente que a poderosa civilização antiga descrita por Platão pode ter de fato existido.
 
 

Atlântida de Cuba

 
Em 2000, enquanto mapeava o fundo marinho da costa oeste de Cuba, uma expedição de pesquisa viu estruturas de pedra simétricas abaixo da água. A maioria das estruturas era gigantesca, chegando a 16 pés de altura e pesando várias toneladas. Cerca de 30 estruturas geométricas foram encontradas parecendo ser os restos de ruas, prédios, túneis e pirâmides, tudo a uma profundidade de 2.200 metros abaixo da superfície da água.
 
 

Mas há mais

 
Em 2001, pesquisadores do Instituto Oceânico da Índia detectaram anomalias no fundo do Golfo de Khambhat, a sete milhas da costa. Seu sonar de varredura lateral fez incríveis imagens de estruturas regulares e as imagens revelaram uma enorme rede de edifícios de pedra, agora envoltos em lama e areia, cobrindo uma distância de cinco milhas quadradas.
 
 

Civilizações perdidas da América do Sul

 
As montanhas dos Andes, Peru. Em uma elevação de 12.500 pés, encontram-se as águas escuras do Lago Titicaca, o corpo de água navegável mais alto do mundo. Em agosto de 2000, uma equipe italiana de mergulhadores e arqueólogos lançou uma investigação subaquática no lendário lago, submerso sob 100 metros de água, a equipe descobriu vestígios de uma estrada pavimentada, terraços de pedra e uma parede de quase meia milha de comprimento.
 
 

Yonaguni

Como muitos outros locais antigos ao redor do globo que foram omitidos por pesquisadores mainstream, as incríveis ruínas submarinas de Yonaguni, localizadas ao largo da costa de Yonaguni, no Japão, são consideradas por muitos como prova de que no passado distante, antes da história como a conhecemos, incríveis civilizações estiveram no nosso planeta.
 
Todo tipo de teoria tem sido ouvida para chegar ao fundo do mistério do complexo submarino de Yonaguni. Ninguém tem certeza de como essas lajes maciças chegaram lá e as teorias variam de civilizações antigas, alienígenas e formações naturais. Alguns pesquisadores e historiadores acreditam que as estruturas em Yonaguni poderiam ser os restos de 'Mu', uma fabulosa civilização do Pacífico que teria desaparecido sob o oceano no passado.
 
As ruínas foram descobertas por acaso pelo mergulhador japonês Kihachiro Aratake.