Enquanto caçava animais, um homem encontrou uma caverna misteriosa simplesmente inacreditável

23/11/2016 15:21

Uma descoberta fascinante foi feita em 1819 quando o oficial do exército britânico John Smith estava perseguindo um tigre através da selva. Enquanto procurava o tigre ele tropeçou numa misteriosa caverna com uma entrada oculta. O que se acreditava ser apenas uma simples caverna, acabou por ser 29 cavernas enormes esculpidas em rocha, lindamente decoradas por construtores misteriosos no passado distante.

 
 
 
 
Por coincidencia, o tigre que Smith estava perseguindo o levou para uma enorme e maciça caverna perdida. Intrigado com o incrível achado, ele pediu a seus colegas oficiais que o seguissem, e nisso eles fizeram uma das mais incríveis descobertas: As cavernas de Ajanta.
 
Smith entrou na caverna com uma tocha de grama flamejante e descobriu um enorme salão bem esculpido, com enormes colunas, coberto de belas pinturas rupestres. Quanto mais exploravam, mais bonitas eram as cavernas. Logo abaixo de uma cúpula, Smith e seus oficiais se depararam com um Buda esculpido em pedra na posição de reza.
 
 
Ao entrar cada vez mais para dentro da misteriosa caverna, Smith decidiu esculpir seu nome em uma estátua de Bodhisattva, um símbolo ou figura que representa uma das vidas passadas de Buda, antes de alcançar Nirvana, aka, a união com o espírito divino.
 
Antes de Smith entrar no sistema de cavernas, a caverna permaneceu longe da civilização, sendo acessado apenas por animais, e água das inundações.
 
 
Depois que Smith descobriu as cavernas, em 1844, o major Robert Gill foi comissionado pela Royal Asiatic Society para criar reproduções em tela das pinturas nas paredes.
 
A investigação posterior revelou que, o que se acreditava ser apenas uma caverna, era, de fato, um sistema de cavernas maciças composta de santuários e monumentos entalhados diretamente na rocha. Existe lá um total de 29 cavernas.
 
 
Alguns cientistas argumentam que estas cavernas maciças foram criadas como um retiro para monges budistas durante a estação da monção.
 
Curiosamente, cada uma das cavernas é única, com um design intrincado e bonito cobrindo seu interior e entradas. A maioria das estátuas ilustram a vida de Buda e suas muitas encarnações.
 
 
Alguns especialistas argumentam que as cavernas foram construídas como observatórios astronômicos e que se alinham com solstícios e outros eventos cosmológicos.
 
Como é possível ser notado, as cavernas número 19 e 26, se alinham perfeitamente com os solstícios de inverno e verão, na devida ordem.
 
 
Durante os solstícios de inverno e verão, a luz do sol brilha direto através de uma abertura em seu telhado, que, consequentemente, ilumina o incrível interior super bem projetado.
 
Considerando a precisão e o esforço necessários para construir este sistema de cavernas maciços, o construtor das cavernas criou uma maravilha da antiguidade, especialmente considerando que eles conseguiram tudo isso com ferramentas e tecnologia extremamente "limitada".