É possível que as grandes pirâmides de Gizé tenham mais de 7000 anos de idade?

10/07/2016 18:03

Parece que existem algumas evidências que estão questionando a idade das Pirâmides do planalto de Gizé postuladas pela arqueologia convencional.

 
 
 
 
O  Papiro de Turim , ou Cânone Real de Turim, também conhecido como Lista de Reis de Turim ou Papiro Real de Turim, é um papiro com textos em escrita hierática, custodiado no Museu Egípcio de Turim, ao qual deve o seu nome. O texto está datado na época de Ramsés II (embora possa ter sido escrito posteriormente) e menciona os nomes dos faraós que reinaram no Antigo Egito, precedidos pelos deuses que "governaram" antes da época faraónica. O papiro, conta com mais de 160 fragmentos, porem muitos pedaços estão em falta .
 
O papiro egípcio hierático contradiz as datas cronologicas estabelecidas sobre o mundo egípcio.. Os pesquisadores estão se deparando com uma grande quantidade de informações que sugerem que o Egito é muito mais antigo do que a arqueologia e a história convencional estão nos dizendo.
 
Quando foi descoberto pelo explorador italiano Bernardino Drovetti em 1822, nas proximidades de Luxor, parece que estava quase íntegro, mas quando o rei da Sardenha o doou à coleção do Museu Egípcio de Turim já estava muito deteriorado.
 
A importância deste papiro foi reconhecida de imediato pelo egiptólogo francês Jean-François Champollion, e posteriormente por Gustavus Seyffarth, que se empenharam na sua reconstrução e restauração. Embora se conseguisse organizar a maior parte dos fragmentos na posição correta, a diligente intervenção destes dois homens chegou tarde, já que muitos pedaços deste importante papiro tinham sido perdidas com o tempo.
 
Não sabemos que fontes utilizou o escriba para organizar a lista, se a copiou simplesmente de um papiro já existente, ou tendo acesso aos arquivos dos templos, compilando a lista utilizando antigas notas de impostos, decretos e documentos; a primeira possibilidade parece á mais provável e explicaria o porque a Lista Real de Turim é realmente um documento de extraordinário valor histórico.
 
De acordo com a Lista de Reis Turim, o Egito foi governado por deuses, e semideuses, (metade homem e metade deus), e esses receberam o nome de Shems Hor (seguidores de Horus) . A longa lista conta uma história diferente da que é aceita pelos egiptólogos convencionais. E ela aponta para o fato de que o primeiro governo no Vale do Nilo não era a do faraó Menes 5000 anos atrás, como a arqueologia acredita. O primeiro governo teria acontecido na verdade á cerca de 11.000 anos atrás.
 
 
Esta lista revolucionária aparece ratificada em grande parte por uma outra história igualmente desprezada por arqueólogos : Os textos de Manetho que datam de 240 aC... Manetho, que era um sacerdote do deus-sol em Heliópolis foi designado pelo faraó Ptolomeu II para escrever a história do Egito desdo o início. De acordo com Manetho, antes de Menes, - primeiro faraó da Primeira Dinastia - o Egito foi governado por semideuses por milhares de anos. O sumo sacerdote greco-egípcio não menciona os Hor Shems (seguidores de horus), como é mensionado na lista de Turim King, mas a coincidência é incrível.
 
Há mais artefatos que sugerem que a história do Egito está errado. Um ovo de avestruz depositado em um Museu na Núbia, ao sul do Egito sugere que o Antigo Egito é mais velho do que nos dizem através dos livros. A descoberta foi feita pelo Inglês arqueólogo, Mallaby Cecil Firth em 1907. O ovo, pintado e depositados no túmulo, tinha vários desenhos diferentes em sua superfície, de um lado tinha representações de plantas e avestruzes, enquanto do outro lado, um impossível cenário: As grandes pirâmides de Gizé.
 
Papiro de Turim
 
Esta descoberta é incrivel por um simples fato, por causa da representação das pirâmides.... Mas por quê? Porque de acordo com os pesquisadores, os restos humanos encontrados no túmulo 96, onde o ovo de avestruz foi encontrado remontam à cultura Nagada I; 7000 anos atrás. Isso é inexplicavel, uma vez que a arqueologia e história nos dizem que as pirâmides no planalto de Gizé tem cerca de 4,500 anos de idade.
 
Então, quem está errado? Os textos antigos e representações das pirâmides que datam de milhares de anos atrás? Ou arqueólogos e historiadores que firmemente apoiam suas crenças?