Dragão de Qijiang

03/03/2015 15:28
«Dragão de Qijiang»: Conheça a nova espécie de dinossauro identificada na China
 
Paleontólogos da Universidade de Alberta (Canadá) identificaram uma nova espécie de dinossauro de pescoço longo, com base num esqueleto fossilizado encontrado na China.
 
O «Qijianglong» (que signfica «Dragão de Qijiang») recebeu esse nome porque foi descoberto perto da cidade de Qijiang, próxima de Chongqing.
 
A revelação foi publicada no Journal of Vertebrate Paleontology, que deu conta dos trabalhos de Tetsuto Miyashita, Lida Xing e Philip Currie.
 
O local do fóssil foi encontrado por trabalhadores da construção civil, em 2006, e no processo de escavações foram descobertas várias vértebras.
 
Mais surpreendente foi constatar que a cabeça do dinossauro ainda estava presa ao pescoço:
 
«É muito raro encontrar a cabeça e o pescoço juntos de um dinossauro de pescoço longo, porque a cabeça é muito pequena e facilmente se desprende após a morte do animal», explicou Miyashita, citado pelo site especializado em notícias científicas, EurekAlert.org.
 
«O Qijianglong é um animal muito cool», referiu o especialista. «Se imaginarmos um grande animal em que metade do tamanho é pescoço, vemos que a evolução pode fazer coisas extraordinárias», apontou.
 
A «nova» espécie, que terá vivido no final do período Jurássico, pertence ao grupo de dinossauros chamado mamenchisaurids, caracterizado pelos longos pescoços, que podem corresponder a até metade do comprimento do animal.
 
A contrário do resto dos espécimes desse grupo, o Qijianglong tinha as vértebras do pescoço cheias de ar, o que fazia o seu pescoço muito leve apesar do tamanho enorme.
 
As suas articulações indicam que podia mover o pescoço verticalmente com uma certa facilidade, mas não num plano horizontal, fazendo lembrar as gruas de construção.
 
Os mamenchisaurids só são encontrados na Ásia, mas a descoberta do Qijianglong revela que poderá haver tantas diferenças dentro desse grupo com há entre dinossauros de pescoço longo nos vários continentes.
 
«O Qijianglong mostra-nos que os dinossauros de pescoço longo diversificaram-se de formas únicas na Ásia durante o Jurássico – algo muito especial estava a decorrer nesse continente», notou Miyashita.
 
«Em lado nenhum encontramos dinossauros com o pescoço mais longo do que na China. O novo dinossauro diz-nos que estas espécies extremas progrediam em isolamento do resto do mundo», considerou.
 
Miyashita acredita que os mamenchisaurids evoluíram dando origem a muitas formas de vida quando outras espécies de pescoço longo foram extintas em território asiático.
 
«Ainda é um mistério, a razão por que os mamenchisaurids não migraram para outros continentes», disse.
 
É possível que aqueles dinossauros tenham ficado isolados como resultado de uma barreira natural, como o mar, e que tenham perdido a competição para espécies invasoras quando a ligação terrestre foi estabelecida mais tarde.
 
 
O Qijianglong está agora «hospedado» num museu local em Qijianglong.
 
«A China deu origem aos antigos mitos sobre dragões», afirmou Miyashita.
 
«Fico a pensar se no passado os chineses terão encontrado um esqueleto de um dinossauro de pescoço comprido, como o Qijianglong, e criaram, por causa disso, a imagem destas criaturas míticas [os dragões]», comentou.