Civilização anterior a era do gelo é encontrada no fundo de um lago

07/07/2016 15:02

As enigmáticas estruturas submarinas com 10.000 anos de idade são consideradas por muitos como a prova definitiva de uma civilização há muito tempo perdida que habitava a região antes da última Idade do Gelo.

 
 
 
Há evidências de culturas antigas perdidas em todo o globo. Prova de tais culturas foram encontrada debaixo do Lago McDonald quando mergulhadores tropeçaram em estruturas subaquáticas misteriosas em Ontário Canadá.
 
A descoberta foi feita a uma profundidade de 40 pés, quando os mergulhadores estavam participando de um projeto submarino único em Haliburton Forest em uma Reserve da Vida Selvagem . Inicialmente, os pesquisadores acreditavam que as estruturas em formas estranhas eram uma versão sofisticada de uma "perched erratic" moldadas no local por geleiras há milhares de anos . 
 
Os pesquisadores concluíram que as estruturas maciças são produto do homem.
 
No entanto, tudo mudou quando os mergulhadores avaliaram a estrutura com mais detalhes. Vários cientistas e geólogos estudaram o conjunto de rochas nos arredores e chegaram à uma conclusão definitiva. As estruturas de sete monólitos gigantescos foram o resultado da atividade humana, e não da mãe natureza ..
 
Para entender como essas estruturas chegaram onde estão hoje, os especialistas fizeram algumas contas, e chegaram a uma conclusão final se havia alguma possibilidade dessas 7 pedras enormes terem caído de algum lugar uma em cima da outra criando uma estrutura perfeita . Os números não mentem, a estatística mostra que é quase impossível para 4 pedras formarem uma estrutura natural, imagine as chances de sete pedras cairem na posição e no momento perfeito para criar uma estrutura do tipo, (como é retratada na imagem) é algo praticamente impossível.
 
 
Depois de riscar da sua lista a teoria de que esta era uma formação natural, os pesquisadores realizaram estudos adicionais à procura de sinais do uso de ferramentas, imagens decorativas ou outros sinais de intervenção humana.
 
Os investigadores descobriram que a camada de sedimentos que cobria a superfície indicava que nenhum humano tocou a estrutura por um tempo muito longo.
 
Esta descoberta levantou inúmeras perguntas ao longo do tempo. Quem eram essas pessoas misteriosas? O que aconteceu com elas? E como é que eles conseguiram essas pedras megalíticas, além de transporta-las e colocá-las em posição?
 
Muitos visitantes de Haliburton Forest, que viram as imagens do monte de pedras têm comentado sobre isso, e sua aparência equilibrada e atrativa. A superfície da parte superior da rocha esta em um nível quase perfeito. Muitos têm apontado que essa estrutura é muito semelhante com a estrutura do artico chamada de "Inukshuk".
 
Inukshuk
 
Pesquisadores descobriram evidências de que partes do Leste, da América do Norte, passaram por secas de proporções cataclísmicas por volta de 9000 e 7000 aC.
 
 
Especialistas apontam para o fato de que, no passado distante, condições áridas governaram, e nisso os níveis de água nos Grandes Lagos estavam em torno de 50 metros mais baixos . Os pesquisadores também descobriram que os lagos interiores como o Lago McDonald experimentaram um fenômeno semelhante.
 
Uma das maiores questões que permanecem é por que as antigas culturas que habitam a região ergueram esse enorme monumentos a milhares de anos atrás ? No fim, como eles fizeram isso continua a ser outro profundo mistério.
 
Os especialistas também descobriram que no passado distante, o lago McDonald não era um lago, mas parte de um sistema antigo de rio que por milênios canalizava o degelo glacial ao sul.
 
Embora ainda hajam muitas pesquisas que precisam ser feitas, descobertas como esta são a prova definitiva de que á dezenas de milhares de anos atrás, culturas antigas em todo o mundo eram muito mais avançado do que os estudiosos tradicionais hoje estão dispostos a aceitar.
 
Talvez esta estrutura, em conjunto, com outras características inexplicáveis ao redor do mundo são a prova final de que existe uma era perdida há muito tempo na história da humanidade.

 

Fonte