Cientistas descobrem um vasto continente que afundou no passado distante

25/10/2016 11:18
 
 
 
Enfim foi descoberto que existe um continente perdido afinal. Especialistas descobriram que metade da massa da Eurásia e da Índia "desapareceu". Segundo os cientistas, metade da superfície da terra que existia 60 milhões de anos atrás, já não existe hoje. Os peritos consideravam que algo parecido com isso era simplesmente impossível em tão grande escala.
 

A Atlântida, Mu, Lemuria ... onde estão esses lugares?

 
Um estudo recentemente publicado na revista Nature Geoscience revela uma série de descobertas que estão revolucionando o que se sabia sobre o comportamento das placas tectônicas. 
 
O proposito da pesquisa, realizada por cientistas da Universidade de Chicago (EUA) era examinar em detalhes a colisão eurasiana com as placas tectônicas da India, que começaram há cerca de 60 milhões de anos atrás e ainda estão em "câmera lenta", sendo ainda responsável por muitos fenômenos, e a aparencia do Himalaia.
 
Especialistas utilizaram várias fontes de dados, a fim de descobrir o local original das duas áreas continentais antes delas começarem a se chocar.
 
"O que descobrimos é que metade da massa que estava lá 60 milhões de anos atrás, está ausente da superfície da Terra hoje", disse Miquela Ingalls, uma estudante graduada em ciências geofísicas que liderou o projeto como parte de seu trabalho de doutoramento ..
 
Foi completamente inesperada a conclusão final da investigação.
 
Após ter analisado quase todas as outras possibilidades o desaparecimento da massa de terra pode ser explicado da seguinte forma, os especialistas concluíram que tal discrepância em massa só poderia ser explicada cientificamente se o "pedaço que desapareceu" tivesse voltado para o manto da Terra, algo que os peritos consideravam antes impossível em tal escala.
 
Esta nova teoria poderia esclarecer alguns fenômenos que confundiram cientistas no passado distante, como a presença de chumbo e urânio em lava vulcânica.
 
 
Estes elementos estão presentes na crosta terrestre, mas são muito raros no manto; a possibilidade proposta é que a superfície da terra é "puxada" para o interior do planeta o que explicaria o porque esses elementos podem estar presentes no magma.
 
"Nós somos ensinados em geologia que a crosta continental é "flutuante" e não pode descer para o manto", disse Ingalls. Mas os novos resultados jogam essa teoria pela janela.
 
"Nós realmente temos uma quantidade significativa de massa que desapareceu da crosta terrestre, e o único lugar onde essa massa poderia ter ido é para o manto", disse David Rowley, um professor em ciências geofísicas, que é um dos consultores de Ingalls e um colaborador do projeto.
 
Essa ilustração vai ajudar a entender melhor a teoria proposta
 
"Costumava-se pensar que o manto e a crosta interagiam de forma relativamente menor. Este trabalho sugere que, pelo menos em certas circunstâncias, isso não é verdade ".
 
"A implicação do nosso trabalho é que, se estamos vendo o sistema de colisão India-Ásia como um processo contínuo ao longo da história da Terra, houve uma mistura contínua dos elementos da crosta continental de volta para o manto", disse Rowley.