Nova tecnologia encontra antigas cidades perdidas subterrâneas no parque arqueológico de Angkor

12/06/2016 19:00
 
 
 
Muitos especialistas referem-se a este achado como a mais extensa pesquisa arqueológica feito até agora, e vai ajudar os pesquisadores em sua "caça" para mais cidades "perdidas" em um futuro próximo.
 
Arqueólogos australianos descobriram antigas cidades subterrâneas no parque arqueológico de Angkor (Siem Reap, Camboja), casa do famoso templo de Angkor Wat, considerado como um dos mais importantes tesouros arqueológicos em nosso planeta. A descoberta foi publicada na "Archaeological Lidar Initiative".
 
 
O estudo completo, cujos resultados serão publicados no "The Journal of Archaeological Science", utilizou uma nova tecnologia de varredura a laser que permitiu a detecção de estruturas que se acredita estarem á milhares de anos abaixo da superfície da floresta cambojana. Estas cidades antigas poderiam competir em tamanho e extensão com Phnom Penh, a atual capital do país. Esta descoberta cobriu uma área de aproximadamente 2.000 quilômetros, o que é considerado por alguns especialistas como o mais extenso levantamento aéreo arqueológico jamais realizado na Terra.
 
 
"Nós descobrimos cidades antigas sob a floresta que nem sabíamos que existia lá", disse Damian Evans, que lidera a investigação.
 
Os lasers utilizados no estudo foram colocadas em helicópteros e permitiu aos pesquisadores obter um grande número de imagens topográficas de alta resolução que de acordo com os pesquisadores estão "extremamente detalhadas e precisas."
 
Além de identificar "padrões geométricos misteriosos" que poderiam corresponder a jardins antigos, palácios e tribunais, as imagens permitiram aos pesquisadores entender como os sistemas de água antigos funcionaram.
 
 
Evans ressalta que a descoberta proporcionará novas e fascinantes pistas sobre o colapso do Império Angkor (também conhecido como Império Khmer), que floresceu nessa área e desapareceu misteriosamente no século XV, como muitas outras culturas antigas antes deles.
 
Esta área era uma capital do Khmer durante o chamado "Período Médio" (séculos 14 a 19 dC) "
 
De acordo com Evans: "Nós encontramos um grande número de novos templos, barragens antigas, lagos, pedreiras e outras evidências da expansão dos Angkor em varias áreas de alcance. Várias dessas características podem ser identificadas nas imagens obtidas, se souber o que você está procurando ... ".
 
 
"Os algoritmos de processamento que usamos são inteligentes o suficiente para filtrar uma grande parte do desenvolvimento moderno e revelar um sistema de gestão da água pré-moderno, incluindo reservatórios, barragens e outros recursos", acrescentou Evans.
 
Evans obteve financiamento do Conselho Europeu de Investigação (ERC) depois que eles descobriram uma paisagem urbana complexa que ligava templos medievais de Koh Ker e Beng Mealea com Angkor em 2012.
 
 
Durante anos, os arqueólogos suspeitavam que a área foi o lar de uma série de estruturas antigas localizadas em Monte Phnom Kulen e outras áreas circundantes. As teorias já foram corroboradas pelo estudo recente, que permitiu aos pesquisadores obter uma série de imagens de alta resolução com um inédito "nível de detalhe."