Chineses passarão a controlar o clima com projeto de R$100 milhões

02/08/2016 18:01
 
 
 
A China investiu R$100 milhões em seu programa de modificação do tempo como parte dos esforços para combater a seca e reduzir o impacto de desastres naturais.
 
O Ministério das Finanças revelou que o projeto teve início neste mês. E informou a mídia que as inundações este ano causaram pelo menos 237 mortes no país.
 
O Ministério das Finanças informou que o financiamento adicional havia sido disponibilizado, a fim de ajudar as regiões da China a responder ao grande número de “eventos climáticos extremos” este ano, incluindo enchentes nas regiões sul e central, bem como a seca no noroeste.
Como funciona a semeadura de nuvens
 
Partículas microscópicas de iodeto de prata são lançadas em nuvens existentes usando geradores terrestres ou aeronaves.
 
Os embriões de gelo ‘interagem com as gotas de água circundantes, e eventualmente evoluem para flocos de neve.
 
 
Estes ao caírem viram neve ou gotas de chuva, dependendo das temperaturas da superfície.
 
A China pretende utilizar as tecnologias de modificação do tempo para criar mais de 60 bilhões de metros cúbicos de chuva adicionais até o ano de 2020.
 
Uma equipe de cientistas de Nevada têm utilizado um drone para controlar o tempo.
 
Engenheiros e meteorologistas dizem ter criado a primeira plataforma de ‘cloud seeding autônomo’, que poderia aumentar a precipitação em 15%.
 
 
Nuvens de pulverização envolvem as partículas finas de iodeto de prata em um esforço para aumentar a quantidade de chuva que cai.
 
“Este é um marco importante”, disse Adam Watts, líder do projeto.
 
Richards, presidente da Drone America disse que o projeto daria uma ajuda significativa ao proporcionar alívio as pessoas que vivem em áreas atingidas pela seca.
 
O processo de semeadura de nuvens foi proposto pela primeira vez na década de 1940 nos laboratórios da General Electric em Schenectady, Nova Iorque.
Duas décadas mais tarde, o Projeto Arizona Central e do Projeto Salt River investiu em pesquisas para torná-lo uma realidade.
 
 
Desde 2007, a CAP injetou mais US$ 1 milhão em investimentos para aumentar a oferta de água no sistema do Rio Colorado.
 
Criar chuva através da indução de nucleação é um processo no qual a água que está no ar condensa-se em torno das partículas e se cristalizam para formar o gelo e este ao ir caindo transforma-se em gotas.
 
Porém, alguns cientistas estão preocupados com a prata que cairá nas bacias hidrográficas, bem como a insegurança jurídica sobre quem deve ou não receber a água. Na foto se vê o Lago Powell, perto do Arizona.
 

Fonte