Caso Mantell

05/04/2015 23:33
 
 
 
Guarda Nacional de Kentucky, EUA revelou, em 08 de janeiro de 1948, que um piloto de Louisville foi morto na explosão de seu avião quando estava envolvido em uma caçada a 'discos voadores'.
 
Introdução
Em 8 de janeiro de 1948 ocorreu um dos mais trágicos registros ufológicos da Ufologia Mundial. Neste dia vários pilotos de caças P-51 Mustang estavam em treinamento no estado do Kentucky, nos Estados Unidos. Ao final do exercício o Centro de Controle solicitou aos pilotos que investigassem a presença de um estranho objeto que estava sendo captado por radar. O objeto surgiu por volta das 13:15 e alarmou os militares americanos pois dirigia-se para Fort Knox, local onde são guardadas as reservas de ouro dos Estados Unidos. 
 
A Esquadrilha era composta inicialmente por quatro aviões. Um deles estava com combustível no fim e precisou retornar à base. Os outros três caças dirigiram-se para o local determinado. Quando chegaram aos 7000 metros de altitude dois caças precisaram retornar pois não possuíam equipamentos para grandes altitudes. Apenas o capitão Thomas Mantell permaneceu na perseguição ao objeto. Através do rádio Mantell relatava o desenvolvimento da perseguição. Ele relatou que o objeto era de grande porte (aproximadamente 70 metros de diâmetro), tinha superfície metálica e deslocava-se a aproximadamente 350 Km/h. Os outros pilotos que participaram da perseguição declararam posteriormente que o OVNI tinha formato de cone branco na parte de baixo e vermelho na parte de cima. 
 
Mantell permaneceu sozinho na perseguição e informa que abandonará o objeto quando atingir a altitude de 6000 metros. Pouco depois perde-se o contato por rádio com Mantell. Menos de uma hora depois os destroços do avião são encontrados. Eles estavam espalhados em um raio de vários quilômetros indicando que o avião desintegrou-se durante o vôo. 
 
O Governo Americano rapidamente colocou em funcionamento seu sistema de acobertamento de fatos. Eles explicaram o incidente como fruto de erro de interpretação dos pilotos. Eles teriam confundindo Vênus com um OVNI e tentado persegui-lo. Quando atingiram mais de 6000 metros sofreram os efeitos da altitude. Mantell teria subido demais e em determinado momento perdeu os sentidos perdendo o controle de seu avião. Ufólogos rapidamente contestaram os fatos pois o objeto havia sido captado pelo radar o que exclui a possibilidade de o objeto ser o Planeta Vênus. Foi então alegado que o mesmo seria um balão Skyhook da Força Aérea Americana (USAF). Esta explicação também não faz sentido pois Mantell e sua esquadrilha eram veteranos da Segunda Guerra Mundial tendo participado das mais importantes batalhas travadas pelos americanos na Europa. Ele e sua equipe tinham condições de identificar um balão. Além disso a USAF não lançaria balões em área de treinamento militar no momento em que houvessem aviões em manobras. E se por acaso houvesse um lançamento o controle local seria informado dos testes com balões. E não houve qualquer comunicação neste sentido.