Caso Incidente Mariana

10/03/2016 19:24

 

 

O incidente Mariana ocorreu em agosto de 1950 em Great Falls, Montana. A filmagem deste avistamento é acreditada ser uma das primeiras, dos objetos que viriam a ser chamados de “Objeto voador não identificado” ou OVNI, e foi investigada pela Força Aérea dos EUA.

 

 

A historia

 
Às 11h25 em 15 de agosto de 1950, Nick Mariana, o gerente geral do “Great Falls Electrics” uma equipe de beisebol da cidade de Great Falls, e sua secretária, Virginia Raunig (19 anos), foram inspecionar o campo vazio de beisebol “Legion Stadium” antes de um jogo. Quando um flash brilhante chamou a atenção de Mariana, que segundo seus próprios relatos, viu dois objetos prateados brilhantes, voando sobre Great Falls a uma velocidade que ele estima entre 200 a 400 milhas por hora. Ele acredita também que eles tinham cerca de 15 metros de largura e estavam a uma distancia de 45 metros. Mariana correu para o seu carro para pegar sua câmera de 16 milímetros e conseguiu filmar os UFOs por dezesseis segundos.
 
A câmera pode filmar os objetos, mas não conseguiu gravar o som. Virginia Raunig sua secretaria também testemunhou os objetos. Um dia depois de avistamento de Mariana, o Great Falls Tribune, um jornal diário da cidade, escreveu sobre o filme em um artigo, que foi espalhado por outros meios de comunicação em todo o país. Durante várias semanas após o avistamento, Mariana mostrou seu filme para grupos da comunidade local, incluindo o Central Roundtable Athletic Club.
 
 

Força Aérea investigação

 
Depois de ver o filme, um repórter do Great Falls Tribune informou a Base da Força Aérea “Wright-Patterson”, em Ohio sobre o filme de Mariana. A Força Aérea enviou o Capitão John P. Brynildsen, que entrevistou Mariana e sua secretaria na base aérea de Malmstrom AFB que ficava fora de Great Falls. Quando Mariana e Raunig disseram que tinham visto dois caças passar sobre o estádio de beisebol, logo após o avistamento, Brynildsen acreditou que talvez os jatos fossem os objetos que Mariana tinha visto e capturado no filme. Com a permissão de Mariana, Capitão Brynildsen enviou o filme para a base Wright-Patterson para análise. O capitão disse a um repórter em Great Falls que tinha “pego cerca de 2,5m de filme de Mariana” para teste. No entanto, em sua mensagem a base Wright-Patterson disse que estava enviando “cerca de 4,5m de filme” para o estudo. Segundo o historiador de OVNIs, Jerome Clark, essa discrepância nunca foi esclarecida.
 
Em Wright-Patterson o filme foi brevemente examinado e determinado que seriam os reflexos de dois caças F-94 que estariam voando sobre Great Falls no momento do avistamento de Mariana. O tenente-coronel Ray W. Taylor retornou o filme para Mariana com uma carta afirmando que “nossos analistas de fotos foram incapazes de encontrar qualquer coisa identificável como de uma natureza incomum”. No entanto, de acordo com o oficial da Força Aérea Edward J. Ruppelt, que passaria a ser o supervisor da Força Aérea no Projeto “Livro Azul” que investigava o mistério UFO em 1951, disse:
 
“Que em 1950 não houve interesse pela Força Aérea no UFO, então depois de uma visualização rápida, atribuíram a filmagem aos caças que passaram pelo local..”
 
A controvérsia logo surgiu quando Mariana afirmou que os primeiros trinta e cinco quadros de seu filme (que mostravam claramente que os discos eram rotativos) estavam faltando. Pessoas na área de Great Falls que viram o filme de Mariana apoiavam suas reivindicações. Eles afirmaram que os quadros perdidos mostravam claramente os UFOs como discos metálicos com um “entalhe” ao longo de suas bordas exteriores. O pessoal da Força Aérea negou esta acusação, e insistiram que tinham removido apenas um único quadro de filme, que foi danificado durante a análise. A controvérsia sobre os “quadros perdidos” nunca foi resolvida.
 

Hoje em dia

 
Cópias do filme de Mariana atualmente fazem parte do Arquivo Nacional dos EUA. Ele ainda é destaque em documentários, programas de televisão, e compartilhados online. A veracidade do filme continua a ser debatida.
 
 
Desde o avistamento de Mariana, mais de 100 outros avistamentos foram feitos em Great Falls, Montana , tornando-se um dos locais mais ativos para avistamentos de UFOs na América do Norte. Em 2008 a equipe de beisebol de Great Falls, foi renomeada como, Great Falls Voyagers em honra ao incidente Mariana.

 

Fonte\Fonte