Bactérias Anti-envelhecimento potentes foram descobertas nas estátuas Moai da Ilha de Páscoa

27/07/2016 15:56
Parece que as estátuas Moai escondem os segredos da fonte da  juventude. Um medicamento chamado Rapamycin foi encontrado vivendo nas sombras das famosas estátuas Moai e é acreditado ser capaz de aumentar a longevidade e melhorar uma série de condições relacionadas ao envelhecimento.
 
 
 
 
Segundo os pesquisadores, novas pesquisas vão fornecer mais informações para atingir resultados realmente estimulantes ...
 
Mais de 50 anos atrás, os cientistas da Ilha de Páscoa encontraram um medicamento natural que estava se escondendo à vista no interior do solo na Ilha de Páscoa. Agora, mais de meio século mais tarde, os cientistas encontraram o que eles estão chamando de "Fonte da Juventude"
 
O medicamento chamado Rapamycin é um subproduto bacteriano que pode ser encontrado vivendo nas sombras das ilhas orientais, nas mais famosas estátuas Moai. O subproduto bacteriano tem mostrado aumentar a longevidade e melhorar um número de condições alegadamente relacionadas com o envelhecimento.
 
O subproduto bacteriano foi detectado pela primeira vez pelo microbiologista Georges Nogrady da Universidade de Montreal em 1964.
 
Os pesquisadores relatam que as propriedades do "remedio" anti-envelhecimento foram demonstradas através de uma gama de diferentes organismos. Os Testes já foram realizados em moscas, ratos, cães e até seres humanos com resultados positivos.
 
Três anos após a Georges Nogrady localizar o medicamento natural, em 1969 os pesquisadores descobriram um agente imunossupressor potente que tem como alvo uma proteína chamada mTOR. Isto acredita-se ser um sistema central de sinalização de nutrientes e pode impedir as células cancerosas de se dividir.
 
 
Desde essa descoberta, os pesquisadores conseguiram obter mais informações relacionadas com o incrivel remedio, incluindo a sua capacidade para ajudar a combater tumores sólidos e até mesmo prevenir a rejeição de órgãos em pacientes que foram submetidos a transplantes.
 
Um estudo de 2009 revelou os resultados mais fascinantes, pesquisadores descobriram que, ao administrar Rapamycin em ratos adultos a sua vida útil foi aumentada entre 6% e 9%....
 
Desde então os cientistas se aventuraram a testar nos humanos, e os testes iniciais deram resultados positivos.
 
Segundo os pesquisadores, eles descobriram melhorias em certos aspectos do envelhecimento, aprendizagem e funções cognitivas dos seres humanos.
 
Recentemente, especialistas da Universidade de Washington testaram os efeitos do medicamento em cães.
 
Os investigadores obtiveram os primeiros resultados depois de apenas algumas semanas, revelando que os cães que receberam Rapamycin mostraram que a funcionalidade do coração realmente melhorou .