Atlântida: Localizada abaixo das camadas de gelo da Antártida?

20/12/2016 11:14

Em 1958, o historiador Charles Hapgood propôs sua "teoria da mudança dos polos". Segundo essa hipótese, os movimentos da crosta terrestre tornaram possível que grandes áreas do continente antártico estivessem totalmente livres do gelo há 12 mil anos atrás.

 
 
Hapgood sustentou que sua teoria estava firmemente apoiada e baseada no mapa de Piri Reis, descoberto na Turquia em 1930. Este documento que se acredita ter sido criado em torno de 1513 mostra o que parece ser a costa norte da Antártida como um vasto território livre de gelo.
 
Além disso, Hapgood concluiu que a "Antártida foi mapeada quando essas partes não estavam congeladas", considerando que um período 'quente' da Antártida coincidiu com a última era glacial no hemisfério Norte e que o Piri Reis e outros mapas foram baseados em mapas ainda mais "antigos" derivados de 'cartas cartográficas' originais da Idade do Gelo.
 
Anos depois, numerosos pesquisadores e autores sugerem que a hipótese do historiador (Hapgood) não é apenas verdadeira, mas é à luz no fim do tunel para os caçadores de civilizações perdidas, isso porque é possível afirmar que o continente perdido de Atlântida esteja escondido sob as grossas camadas de gelo da Antártida. Isso porque se acredita que foi desse lugar que vieram os mapas antigos - que mostram a antártida livre do gelo - que foram usados para a criação de outros mapas como o de Piri-Reis.
 
Curiosamente, a primeira menção histórica de Atlântida é encontrada na obra do filósofo grego Platão, que se refere à cidade como um santuário construído por uma espécie híbrida entre deuses e humanos, 9.000 anos antes de seu tempo. Essas datas coincidem com as estipuladas pela "teoria da mudança dos pólos".
 

O mapa de Piri-Reis e Oronce Finé e a ligação com Atlântida 

 
 
O mapa de Piri Reis foi composto por volta de 1513 e, além de exibir a Antártida livre do gelo, retrata a geografia do continente americano com tanta precisão que parece que foi montada com a ajuda da fotografias aéreas.
 
Curiosamente, este mapa foi examinado pelo Escritório Hidrográfico dos EUA, onde sua autenticidade foi confirmada. O mapa confirmado como genuíno é tão preciso que foi supostamente usado para corrigir erros em alguns mapas modernos.
 
No entanto, não é o único mapa que retrata a Antártida como um continente livre de gelo. Por exemplo, outro mapa fascinante é o mapa de Hadji Ahmed, publicado em 1559. Este mapa incrível mostra muito precisamente a costa ocidental da America do Norte e do Continente antártico.
 
Além disso, publicado em 1737 por Philippe Buache, o mapa de Buache acreditasse ter sido criado com o uso de mapas muito mais antigos. Este gráfico mostra a Antártida muito antes do continente "gelado" ter sido de fato descoberto. Curiosamente, como muitos outros mapas antigos, este também descreve com precisão a Antártida sem gelo.
 
O mapa mundo de Oronce Finé criado em 1534, é um mapa cordiforme (em forma de 'coração') que indica características do Continente antártico quando o continente não era coberto pelo gelo. E tambem é outro mapa que mostra o continente antes de ser oficialmente "encontrado", o gráfico também mostra rios, vales e zonas costeiras, ao mesmo tempo que descreve a localização aproximada do que é o Pólo Sul hoje.
 
Baseado nestas e em outras descobertas "controversas", Hapgood concluiu que o conhecimento cartográfico avançado que aparece no mapa de Piri Reis e no mapa de Orange Finé, deve ter sido o resultado de uma civilização antiga desconhecida que desenvolveu um conhecimento científico avançado antes de outras civilizações, muitos supoem que essa civilização seja Atlântida ...
 
Em 2013, o Google Earth mostrou imagens de estruturas semelhantes a pirâmides que se sobressaem no gelo da Antártida, o que, ao mesmo tempo, confundiu cientistas... Isso porque pareciam ser construções artificiais.
 
Dizem que Adolf Hitler sabia sobre uma possivel civilização antiga sob o gelo, e supostamente construiu uma base secreta no continente. Sabe-se que durante a Segunda Guerra Mundial, os nazistas realizaram uma série de estranhas experiências com supostas tecnologias desconhecidas para o resto do mundo em sua tentativa de governar o planeta. Eles procuraram artefatos míticos e tecnologias de outro mundo, esperando encontrar um poder supremo que lhes permitisse conquistar o inconquistável.
 
Curiosamente, uma das citações mais interessantes sobre Neuschwabenland e Antartida vem do alemão da marinha Almirante Karl Dönitz, que disse: ... A frota submarina alemã se orgulha de ter construído para Führer, em outra parte do mundo, um Shangri-La em terra, uma fortaleza inexpugnável.
 
De acordo com uma série de rumores, a 'Base 211' deve ter realmente existido, e deve estar localizada no interior da cordilheira livre de gelo, nas montanhas Muhlig-Hofmann de Neuschwabenland, também conhecido como Queen Maud Land.