As misteriosas esferas de cinco mil anos

04/07/2016 23:36
 
 
 
As anômalas petroesferas são encontradas principalmente na Escócia, Grã-Bretanha e Irlanda, datando do final do período Neolítico, possivelmente da Idade do Ferro, são um dos maiores enigmas arqueológicos do século 21. Em sua superfície, as esferas misteriosas têm de 3 a 160 botões salientes com tamanhos variados – cerca de 2,75 polegadas chegando até 7 cm de diâmetro. Comparado a outros objetos, são aproximadamente do tamanho de bolas de tênis ou laranjas.
 
Pesquisadores de todo mundo têm proposto variadas teorias que tentam desvendar o mistério, no entanto, essa história continua a ser um grande enigma para os estudiosos. Embora os investigadores tenham descoberto esferas com até 160 botões, as mais comuns têm apenas seis. Matemáticos parecem ter um interesse particular nesses objetos, por causa de sua beleza estética incrível, e, principalmente, porque representam todas as formas simétricas dos sólidos platônicos.
 
Quase todos petróglifos foram encontrados na região nordeste da Escócia e em outras áreas circundantes. Segundo dados de 2015, um total de 435 esferas de pedra foram registrados, sendo que a estimativa dos pesquisadores é que existam mais centenas perdidas na região.
 
 
Os pesquisadores classificaram as esferas em três categorias: espirais, círculos concêntricos e os padrões de linhas retas.
 
Enquanto seu verdadeiro propósito permanece um mistério, os artefatos são evidência de que esses povos conheciam os cinco sólidos platônicos, que foram descritos um milênio depois pelos gregos. Isto significa que a antiga humanidade teve conhecimento sobre os cinco sólidos platônicos muito antes de Platão descrevê-los.
 
Uma das teorias mais aceitas no momento é que as esferas auxiliaram nas construções megalíticas. Estudiosos teorizam que as esferas misteriosas poderiam ter sido utilizadas pelo homem antigo no transporte de grandes rochas, agindo como rolamentos. De acordo com especialistas, há uma correlação entre os círculos de pedra que estão em Aberdeenshire, Escócia e esses pequenos objetos. Os investigadores sugerem que os tamanhos diferenciados das esferas pode indicar que foram feitas para trabalhar em conjunto como uma unidade, a fim de facilitar o transporte de blocos de pedra. Testes desta teoria tem demonstrado modelos que utilizam pequenas esferas colocadas em sulcos em uma plataforma de madeira, com uma placa acima transportando uma grande rocha. O experimento apontou que esse tipo de deslocamento poderia ter sido útil aos antigos, mas nada foi comprovado.
 
Outros pesquisadores acreditam que esses objetos são evidência de sabedoria perdida, indicando que a humanidade teve conhecimento extremamente avançado em diversas ciências em tempos antigos e que essas esferas são, de fato, representações de átomos.
 
A verdade é que, apesar do número de objetos encontrados, os pesquisadores têm muito pouca informação sobre esse grande mistério. Seu verdadeiro propósito permanece um enigma para os investigadores que só podem especular a respeito de como e porque as pessoas do Neolítico criaram tais artefatos tão elaborados. Pouquíssimas esferas estão danificadas pelo tempo, indicando que as petroesferas foram objetos sem utilidade prática, mas sim itens com significado simbólico ou social.
 

Fonte\Fonte\Fonte