Arqueólogos acham um incrível Altar do Sol de 3.000 anos na China

06/07/2017 09:38
 
 
Arqueólogos conseguiram escavar com sucesso os restos de um altar de 3.000 anos dedicado ao culto do sol na região autonômica de Xinjiang Uygur, no noroeste da China.
 
Acredita-se que a estrutura de 300 pés tenha sido construída por culturas antigas que habitavam a região há mais de 3.000 anos. Segundo os arqueólogos eles conseguiram transportar as pedras maciças usando homens e cavalos.
 
Embora as ruínas deste antigo monumento tenham sido descobertas em 1993, não foram escavadas até os últimos anos. Agora com as novas escavações os especialistas confirmaram suas suspeitas iniciais de que o antigo local era de fato usado como um altar do sol por culturas antigas que habitavam a região durante o Era Bronze.
 
Os relatórios sugerem que o antigo altar do sol é composto de três círculos feitos de pedra com o diâmetro externo do círculo com pouco mais de 320 pés de comprimento. Conforme o relatado pela Euronews, assemelha-se aos altares que adoram os céus das dinastias que uma vez governavam as planícies centrais da China.
 
 
 
Os arqueólogos dizem que essa descoberta é de extrema importância, porque sugere que existia um forte vínculo cultural entre as antigas dinastias chinesas e regiões nômades.
 
Sabe-se que a adoração do sol era uma prática comum entre quase todas as culturas antigas que existiam durante esse período.
 
Conforme o que foi observado pela National Geographic, a adoração do céu é considerada uma das formas mais antigas de religião da China, e os montes foram freqüentemente usados para cerimônias elaboradas e sacrifícios não humanos.
 
.
 
No entanto, o propósito exato do altar do sol em Xinjiang ainda não foi identificado e outros estudos serão necessários para chegar ao fundo disso. Numerosos monumentos antigos em todo o planeta foram identificados como estruturas antigas que foram especificamente construídas para a adoração do sol.