91 novos vulcões são encontrados na Antártica; consequência pode ser desastrosa

30/08/2017 10:55

Uma simples erupção por ali poderia pôr fim à humanidade

 
 
Nenhuma região do planeta desperta tantas paixões e possui tantos mistérios quanto a Antártica. Mas, lentamente, o deserto de gelo está começando a revelar alguns de seus segredos mais bem guardados. O último deles foi descoberto por geólogos da Universidade de Edimburgo, que, liderados pelo glaciologista Robert Bingham, encontraram 91 vulcões debaixo do gelo antártico. 
 
Essa descoberta surpreendente significa que o litoral oeste da península e o continente antártico formam a região mais vulcânica do planeta, inclusive mais até que a costa oriental da África, a qual, até o momento, era considerada a localidade com a maior concentração de vulcões no mundo. O fato foi publicado em uma série especial da revista da Sociedade Geológica Real Britânica e divulgado pelo jornal The Guardian. 
 
 
O estudo envolveu a análise de medições feitas por pesquisas anteriores e o uso de radares capazes de penetrar no gelo, transportados por avião ou por veículos terrestres, para rastrear amplas faixas territoriais da Antártica Ocidental. Foi nessa área remota que os cientistas descobriram os 91 vulcões, alguns dos quais medem até 4 mil metros de altura. 
 
Porém, essa descoberta é muito mais que uma curiosidade, já que, se o gelo derreter por causa do aquecimento global e os vulcões entrarem em atividade, o fluxo em direção ao mar se aceleraria de forma abrupta. Por isso, é importante determinar, e o mais rápido possível, a probabilidade que há de esses vulcões despertarem. 
 
 

Fonte