5 Teorias sobre as piramides

12/09/2014 23:28

pyramid-original[1]

   

 

Pirâmide é todo poliedro formado por uma face inferior e um vértice que une todas as faces laterais. Existem diversos tipos de pirâmides espalhadas pelo globo, no entanto, nós  brasileiros geralmente ouvimos falar apenas das pirâmides do Egito durante as aulas de História do Ensino Fundamental e Médio.

   Essas estruturas incomuns sempre chamaram muita atenção devido os mistérios que as envolvem. São marcos de Engenharia Antiga e a maior parte dessas engenhosas obras já estavam de pé 3 mil anos antes de Cristo nascer, sendo que, até hoje, os cientistas debatem a respeito de como elas foram construídas, em especial, as pirâmides que se encontram no Egito.

   Esse post é destinado aos amantes do nonsense e deixa de lado a lógica para explorar nossa imaginação em busca de uma nova visão sobre antigas discussões. Trata-se de teorias malucas que abordam o tema encontradas na Internet. Confira:

5. Super tecnológico meio de transporte

piramides+aliens[1]

   Muitas questões rodeiam ainda hoje nossos conceitos estabelecidos sobre “pirâmides”. Por exemplo, os complexos piramidais mais famosos do mundo chamados  Quéops, Quéfren e Miquerinos, na Necrópole de Gizé, são consideradas atualmente como túmulos dos faraós. No entanto, apesar dos sarcófagos, na Grande Pirâmide – que foi descoberta por volta de 1950 com os aposentos principais lacrados, tal como a Câmara Real – não encontraram nenhum corpo.

   Além disso, as escrituras em suas paredes não dizem exatamente que a sua finalidade era guardar os restos mortais do faraó: os hieróglifos dizem que ali é o local onde os faraós vão ao encontro  com os deuses. Provavelmente algum ocidental relacionou isso à morte, pois na nossa cultura, enraizada no Cristianismo, o encontro com Deus é vinculado com a morte, mas nas Religiões Egípcias, o faraó não precisava estar necessariamente morto para contatar os deuses.

   Em algumas escrituras nos templos egípcios há passagens que falam que por alguns períodos os faraós invocavam os deuses e esses passavam a viver entre nós. Depende da forma como você interpreta, a pirâmide pode ser um tumulo … ou um mega meio de transporte. Mas calma, os mistérios não terminam por aí….

Semelhanças que desprezam distâncias.
 

   Hoje, em um período pós globalização, nenhum conhecimento é restrito à uma cultura a não ser que esse seja desejo de quem o contém, do contrário, ele pode usar a rede mundial de computadores para transmitir todo o conhecimento para uma pessoa à quilômetros de distância do local de onde se encontra.   

   Contudo, o que você acharia se eu dissesse que, de alguma forma, as antigas civilizações da América Cental, Ásia e África trocaram informações e assustadoramente seguiram as mesmas regras de engenharia e estrutura para construir pirâmides idênticas em diferentes pontos do mundo em uma época que, segundo os livros de História, as grandes navegações sequer existiam? Como pode haver em cinco continentes estruturas piramidais idênticas, construídas na mesma época, sem que exista qualquer tipo de contato entre os envolvidos na construção dessas obras? Coincidência? Quais as probabilidades disso acontecer?

   Incrível, não? Mais impressionante ainda é saber que essas pirâmides semelhantes que estão separadas por uma imensidão de terra e mar, supostamente, de algum modo e por algum motivo, foram construídas utilizando o mesmo conhecimento de astronomia. Exemplo: as pirâmides de Montevecchia, Milão, Itália, é baseada na mesma estrutura das pirâmides do planalto de Gizé e ambas apontam para o mesmo local no Mapa Estelar: apontam para o cinturão de Órion e apontam para constelação de Sirius. Já as pirâmides da Indonésia seguem os mesmo traços e forma das pirâmides de Chichen Itza e ambas apontam para Sirius. Estranho?! Estranhíssimo!

   Mas se isso era um meio de transporte, como essa joça funcionava?

   Os teóricos das pirâmides transporte apontam para algumas pistas, no caso da Grande Pirâmides de Queóps:

   Ela tem oito lados, que incrivelmente, só pode ser percebido olhando a pirâmide de cima – digo, do céu – , na manhã e no pôr do Sol nos equinócios da primavera e do outono;
   Era revestida com pedra de calcário polido, imitando placas espelhadas (similares aquelas que você vê em geradores de energia solar, entretanto, feitas de calcário), com o topo feito de ouro.
   É alinhada com o Norte magnético terrestre, ou seja, está alinhada com a massa da Terra.
   Há quatro pequenos dutos dentro da pirâmide, alinhadas com o seu centro, que são justamente alinhados com o Cinturão de Orion e a Constelação de Sírios, chamados pelos egípcios da época de “passagens dos deuses”.

piramide_queops[1]

   Dada as pistas e ainda, unindo-as as passagens das escrituras que representam que os deuses eram invocados ao Egito apenas nos dias dos equinócios, acredita-se que a máquina de teletransporte funcionasse somente nesses curtos períodos sendo completamente inútil no resto do ano. O motivo que deixava a máquina inoperante o resto dos dias era possivelmente o Sol não conseguir atribuir energia suficiente para a piramide funcionar e buscar um dos seres lá das constelações distantes.

4. Proteção do Conselho dos Nove

Imagem12[1]

   Tem uma lenda antiga do Egito que fala sobre um grupo chamado de “Conselho dos Nove”, formado por nove seres extraterrestre – cada um de uma raça diferente de extraterrestre –  que seriam os responsáveis por criar os seres humanos e por esse motivo se tornaram também nossos guardiões.

   A lenda diz que existe, em algum lugar numa galáxia muito distante, uma espécie de acordo intergalático que impede que seres em estágio de evolução sejam atacados por seres com maior poder tecnológico. Nossos representantes seriam o “Conselho dos Nove” e como tais parece que desenvolveram algumas tecnologias de proteção planetária para impedir que alienígenas malvados venham dominar o planeta antes de ele atingir um estágio de evolução apropriado. Entre essas tecnologias de proteção, as pirâmides seriam uma das principais!

   Essa teoria diz que as pirâmides são responsáveis por um “escudo” protetor que é invisível e envolve o planeta, sendo ativado diante de qualquer ameaça de alguma armada interplanetária.

   Tal teoria vai ao encontro com algumas outras maluquices, como o caso Ashtar Sheran – a entidade sinistra sobre a qual existem relatos no mundo todo – que fala aos seus contatos que a Terra realmente seria protegida por um sistema de Proteção desde a criação humana.

   Andrija Puharich, o maior especialista do assunto, relatou que o Conselho dos Nove ainda estão presentes entre nós, disfarçados e que é extremamente difícil entrar em contato com eles. Puharich foi um dos pesquisadores envolvidos no projeto ultrasecreto chamado MKULTRA, desenvolvido pela CIA a partir dos anos 50 e que, por acidente, teria conseguido contatar uma dessas entidades através de um dos experimentos bizarros realizados com uma de suas cobaias (para quem não lembra do MKULTRA, o projeto estudou todo tipo de bizarrice utilizando pessoas que acreditavam ser médiuns). Andrija confessa em um dos seus livros que não teve um dia da sua vida em que não lembrasse e ficasse perturbado com as declarações que ouviu da entidade durante a realização do experimento.

   Para os teóricos, nós temos muito que temer caso essa proteção termine.

3. O Poder de Cura e Imortalidade

pyramid-artwork-340780[1]

   Em 1989, o PhD Alexander Golod se uniu ao Antigo Governo Soviético para realizar uma pesquisa sobre o poder das pirâmides. Golod suspeitava que algumas estruturas geométricas podem produzir campos energéticos que tem o poder de afetar fenômenos no Universo, fazendo-os se comportar de maneira diferente. Com cerca de R$ 1,1 milhão de doláres, Golod e o Governo construíram na Rússia  mais de vinte grandes pirâmides em oito locais diferentes, cada uma com 44 metros de altura pesando mais de 55 toneladas, feitas de fibra de vidro.

   Efetuada a construção, Alexander conduziu um estudo intenso envolvendo diversas ciências: medicina, ecologia, agricultura, física e ciências da saúde.

Ao término, Golod concluiu que:

o sistema imunológico dos organismos  melhoram notavelmente (composição de leucócitos no sangue aumentou);
as pirâmides melhoram a regeneração de tecido;
sementes armazenadas em pirâmide de 1-5 dias mostraram um aumento de 30-100% na produtividade;
atividades sísmicas perto das áreas de pesquisa de pirâmide foram reduzidas em termos de gravidade e tamanho;
tempo violento também parece diminuir na proximidade das pirâmides;
pirâmides construídas no sul da Rússia (Bashkiria) parecem ter um efeito positivo sobre a produção de petróleo com o óleo tornando-se menos viscoso em 30% e o rendimento dos poços de petróleo aumentaram de acordo com testes realizados pela Academia de Moscou de Petróleo e Gás;
foram realizados estudos com 5000 presos que ingeriram sal e pimenta, que tinham sido expostas ao campo de energia da pirâmide. Os resultados dos teste exibiram um índice de violência muito reduzida e o comportamento geral foi muito melhor;
testes de cultura de tecido padrão mostrou um aumento da sobrevivência de tecido conjuntivo após a infecção por vírus e bactérias;
substâncias radioativas mostram uma diminuição do nível de radiação no interior da pirâmide;
há relatos de carregamento espontâneo de capacitores;
os físicos observaram mudanças significativas nos limiares de temperatura e supercondutividade e nas propriedades de semi-condutores e nano carbono materiais. água no interior da pirâmide permanecera líquida em menos 40 graus Celsius, mas congelou instantaneamente se empurrada ou batida de qualquer forma;

   E isso era apenas o começo das descobertas. Posteriormente, descobriu-se que o tamanho das pirâmides mudavam os resultados das pesquisas. Quanto maior, melhor a qualidade dos eventos ocorridos. Os antibióticos, por exemplo, teriam seu poder de cura aumentado em milhares de vezes em um usuário que  tenha se tratado dentro da pirâmide. E, para deixar tudo mais estranho, meses após a construção, as Forças Aéreas da Rússia detectaram um intenso e assustador campo magnético sendo emitido das pirâmides!

   Claro que todo esse amaranhado de bizarrices fizeram com que mais tarde explodissem teorias e mais teorias na Internet. A mais atraente delas – e por que não dizer “maluca” – fala que os faraós já sabiam disso e a intenção deles em construir pirâmides tão gloriosas estariam no fato de acreditarem que, se construíssem uma pirâmide extremamente gigante, o resultado não poderia ser outro senão a imortalidade de quem vive dentro delas.

   Como construir a Grande Pirâmide hoje custaria aproximadamente 9 bilhões de reais – são 230 metros de comprimento em cada lado, 146 metros de altura, composta de 2,3 milhões de pedras pesando de 3 toneladas à 70 toneladas, em uma massa total de 6,5 milhões de toneladas – parece que nunca iremos saber se essa teoria é ou não simplesmente doida, a não ser que o governo Egipcío permita a reforma da unica existente.

2. A Porta para o Hiperespaço

parr5[1]

Muita gente suspeitava que as pirâmides produziam algum tipo de campo de energia, desde muito tempo! Porém, ninguém nunca tinha conseguido provar isso ou mesmo, pensado em uma maneira de medi-lo. O primeiro malucão que resolveu por os pingos nos i’s desse mistério foi Joe Parr.

Parr era um cientista e engenheiro elétrico fascinado pelo Egito. Depois de uma de suas visitas ao país, Joe teve a brilhante ideia de medir os campos de energia que ele supostamente acreditava que as pirâmides tinham em torno de si. Ele desenvolveu um “instrumento” de medição e conduziu experimentos do topo das pirâmides em 1977 e 1987. Parr ainda aperfeiçoou seus modelos a partir dessas experiências e o resultado de toda essa busca foi incrível: com o seu modelo bizarro, Joe Parr foi capaz de identificar que se girasse em uma centrífuga através de uma corrente magnética alternada, um campo de energia se formava em torno da pirâmide, chamada por ele de “Bolha”.

Essa “bolha” emitia diferentes tipos de radiações, entre as quais a gama, fenômeno que se realmente ocorreu é ainda desconhecido pela Ciência. E Parr foi além: relatou que em experimento posterior, conseguiu fazer com que a pirâmide, após obter seu campo energético, começou a flutuar e se mover em uma direção específica.

Calculando Joe percebeu que a pirâmide estava se direcionando nada mais, nada menos, do que para constelação de Órion! E o mais intrigante: a pirâmide parecia “piscar”, com se fosse uma imagem de TV, hora ligada, hora desligada. Dessa forma Joe Parr concluiu que a pirâmide modelo está prestes a entrar no Hiperespaço, que por algum motivo não fez, podendo ser uma falha no modelo ou mesmo a falta de energia suficiente para realizar o feito. Infelizmente, para tristeza de todos, Parr morreu em Ventura, California, em 2010, antes de concluir o modelo que acreditava ser capaz de realizar a viagem ao hiperespaço, pois conseguia com que a bolha energética fosse completamente fechada.

BURACO2[1]

O hiperespaço é um elemento hipotético previsto nas teorias das Cordas e na Teoria da relatividade que daria acesso à uma viagem mais rápida que a luz e ainda, acesso à outras dimensões existentes. A nossa Ciência atual alega estar longe de descobrir como acessar o hiperespaço de forma segura e sem precisar gastar todo o dinheiro da Terra no investimento. Porém, sem sombra de dúvidas, seria uma das maiores descobertas da Humanidade, já que abriria, além das próprias vantagens do Hiperespaço, o conhecimento para fabricação de inúmeras outras tecnologias.

1. A Rede

rede

Nenhuma das teorias anteriores é mais maluca que essa! A Teoria da Rede diz que as pirâmides são na realidade uma grande rede que envolve a Terra. Se conseguíssemos cruzar linhas pelos planetas, conseguiríamos perceber que todas essas pirâmides antigas, formam, na realidade, uma grande rede, uma espécie de cópia de circuito eletrônico que circunda o planeta. Cada uma dessas pirâmides e seus formatos teriam um propósito e funcionariam tal como o projeto hipotético de Tesla de transmissão de energia elétrica sem fios, através da ionização do ar que essas estruturas causariam. O propósito disso tudo? Bem, isso até os teóricos doidões divergem.

Uns dizem que a Rede ainda funciona. Sim, ela está em plena atividade agora mesmo! Você, leitor, é vítima dela e nem sabe. A Rede é, na realidade, uma grande, imensa, máquina de produzir ilusão: você, eu e mais alguns bilhões de seres humanos estamos preso em uma ilusão criada nesse planeta por essa rede. E por quê? Outra divergência, há diversos pontos de vista…

O que temos de concreto é que até hoje temos pirâmides imensas sendo descobertas e sendo ocultadas por seus governos, tal como aconteceu na China e na Bósnia.

Já outros dizem que, a Rede não está mais ativa e serviu para um propósito nobre:  seria um teletransporte de planeta. Por algum motivo os antigos habitantes desse planeta identificaram algumas dificuldades que, segundo os teóricos, teriam forçado eles a construíssem essa tecnologia.  A base dessa teoria estaria em um estudo do Instituto de Astronomia da Universidade de Cambridge que avaliou o espectro eletromagnético do sistema solar e teria identificado que a Terra, ao contrário dos demais, parece que simplesmente apareceu por aqui, melhor dizendo, o espectro apresentava propriedades diferentes dos outros planetas, que segundo os autores do estudo, era vinculado ao cinturão de Van Allen… mas os teóricos não interpretaram dessa maneira.

Todavia, sendo o propósito nobre ou não, ter uma tecnologia de pirâmides em rede que envolve o planeta é, no mínimo, extremamente bizarro. Porém, se isso ainda não fosse o suficiente, os teóricos ainda alegam que as pirâmides de Comando estariam escondidas no Pólo Norte e no Pólo Sul e que elas interfeririam diretamente no campo magnético da Terra. É, leitor, vai dizer que não é muita teoria maluca para ninguém botar defeito?!

Fonte: Curioso.com.br