A Teoria Quântica prova que a consciência se move para outro universo após a morte...

22/11/2016 17:59

Por mais controverso que possa parecer a muitos, existem várias teorias que indicam que a consciência do homem se move para outro lugar depois da morte. De acordo com os cientistas, a estrutura do universo em que vivemos, suas leis, forças e constantes são, de fato, sincronizados para a vida. Isso implica a existência da inteligência antes da matéria.

 
 
O livro Biocentrismo: Como a vida e a consciência são as chaves para a compreensão da verdadeira natureza do universo escrito pelo Dr. Robert Lanza - que foi eleito o terceiro mais importante cientista vivo pelo NY Times - expande a teoria como nunca antes, propondo que a vida como a conhecemos não morre com o corpo, e pode ser considerada como duradoura para sempre. Robert Lanza é um dos cientistas mais respeitados do mundo - uma matéria do US News & World Report o chamou de "gênio" e "pensador renegado", até mesmo comparando-o a Einstein.
 
Dr Lanza é o homem que deve ser recorrido quando o assunto é medicina regenerativa, ele trabalha como diretor da Advanced Cell Technology Company. Antes disso, o Dr. Lanza era conhecido por seus extensos estudos no campo das células-tronco e é conhecido por "perfumar" experiências bem sucedidas na clonagem de animais ameaçados de extinção.
 
Segundo o biocentrismo, a vida e a consciência são partes fundamentais do universo. A consciência é responsável pela criação do universo material e não o contrário. 
 
Dr Lanza explica que a estrutura do universo em que vivemos, suas leis, forças e constantes são, de fato, sincronizados para a vida.
 
Além disso, Lanza sugere que o espaço e tempo não são como objetos ou coisas, mas são ferramentas que são utilizadas pelo nosso "entendimento animal".
 
Lanza indica que a humanidade carrega o espaço e tempo "como tartarugas carregam sua casca". Quando a casca sai - espaço e tempo - não deixamos de existir.
 
Em outras palavras, essa teoria sugere que a morte da consciência simplesmente não existe. De fato, só existe de tal maneira porque as pessoas são identificadas com seu corpo, e uma vez que acreditam que este corpo "perecerá" um dia, sua consciência também pode desaparecer.
 
No entanto, se o nosso corpo está recebendo a consciência como um satélite recebe e obtém seus sinais, então "consciência" não deixa de existir na morte.
 
Isso sugere que a consciência existe fora das restrições do tempo e do espaço e é capaz de viajar para qualquer lugar, dentro do corpo humano e fora dela: não é algo que está localizado, assim como os objetos quânticos não são.
 
Além disso, o Dr Lanza acredita que o multiverso pode existir simultaneamente: em um universo o corpo pode morrer enquanto em outro continua a existir, absorvendo a consciência que migrou para este universo. Em outras palavras, isso significaria que alguém que morre acaba em um mundo semelhante onde essa pessoa habitou uma vez, e assim por diante infinitamente.