A Revelação

08/04/2015 13:06
Há um tempo atrás viajamos para um casa de campo do meu tio Arlindo, meu tio querido, viúvo, sem herdeiros, irmão da minha mãe já falecida, tio que após a morte da minha mãe e do meu pai em um acidente automobilístico, me criou como seu filho, e após minha maioridade me deu um apto onde moro até hoje, sua casa de campo esta localizada em Santa Isabel, interior de São Paulo, a casa avarandada toda feita em tijolos expostos (casas coloniais) e ficava bem no centro de um terreno com 3 hectares bem divididos em 1 pomar a direita da casa a uns 200metros de distancia com diversos tipos de frutas, desde laranja, até um pequeno vinhedo que era seu xodó,  uma piscina olímpica aquecida a esquerda da casa a uns 50 metros o restante era pasto para alguns animais que ali eram criados (cabras e carneiros), chegamos por volta das 09:00 daquela manhã de sábado e já caímos na piscina, passamos um dia muito agradável , porém não fazia idéia do que me aconteceria ao anoitecer.
Estavamos  por volta das 20:00pm em volta da piscina fazendo um churrasco, quando começou a baixar uma neblina compacta e a temperatura caiu drasticamente, deixando todos com muito frio, pois estávamos ainda com trajes de banho, então todos entraram para casa e ficaram eu,  e meu tio para recolher a churrasqueira, quando ao entrar na casa da piscina para guardar as coisas, ouvimos um barulho na piscina como se algo estivesse caído  nela, então pensei ser meu outro amigo  que tinha bebido um pouco a mais e estava lá de volta para bagunçar, mas quando chegamos a piscina estava vazia, então deixamos para lá e quando nos dirigíamos para a casa, começamos a ouvir borbulhas na água e nos viramos para ver, a água da piscina estava com borbulhas na superfície como se estivesse alguém lá em baixo se debatendo, de imediato pulei, pois haviam criança na casa e podia ser que alguma saiu correndo da casa para nos encontrar e acabou caindo, mergulhei meu tio acendeu a iluminação interna da piscina e quando olhei em baixo da água, o que vi me fez nunca mais entrar em piscina nenhuma, embaixo da água havia pedaços de corpos humanos ,(braços, pés, mãos, tripas) que flutuavam em meio a um liquido avermelhado, meu susto foi tanto que acabei engolindo água e sendo puxado pelo meu tio que também pulou para me pegar..... ao sair eu gritava, e não falava coisa com coisa, meu tio me levou para casa e ao sair da piscina, do lado de fora ela continuava com água límpida, que dava para ver até os detalhes degrade do azulejo em azul.
Cheguei na casa fui até o banheiro e pedi para me deixarem sozinho, sentei-me na banheira e enquanto tentava me acalmar, fechei os olhos e por alguns minutos tive uns fleches, onde via aquele local com pessoas que estavam sendo mortas  e desmembradas para serem enterradas.Dei um pulo, minha respiração acelerou tanto que fiquei com falta de ar, sai me troquei e fui até a sala, onde todos estavam me esperando preocupados. Sentei  me e disse que estava bem, pedi licença e fui me deitar, mas naquela noite algo mais seria -me revelado, tive um sonho, onde alguns rapazes faziam uma festa com umas garotas, e após muita bebida e drogas eles tentaram seduzir as meninas, as elas disseram não, então todos já fora de si violentaram todas elas, eram 3 meninas e sete rapazes, algumas ficaram inconscientes caídas, por tamanha violência, quando eles se deram conta do que tinham feito, mataram as três meninas e esquartejaram seus corpos para ocupar menos espaço ao enterrar, e o local era embaixo de uma piscina, então acordei  em um pulo só, achei estranho ser embaixo da piscina, pois ela era muito funda e caso tivesse algum corpo enterrado ali, na construção da mesma teria sido achado. Porém a maior revelação  estava por vir, no outro dia meu tio nos levou até um ofurô gigante que ela havia feito, cabiam umas 8 pessoas dentro, achei o máximo, mas não entrei pois estava com medo de entrar na água e ter outra visão, fiquei na sua lateral, no sol pensando em meu sonho quando vejo meu tio pisando dentro do ofurô, na hora  a água se tornou vermelha e pedaços de corpos boiavam em sua superfície, então ouvi um sussurro no meu ouvido dizendo: foi ele! Na hora cai em um choro convulso, toda avisão se repetia em minha mente passando muito rápido eu não entendia o que acontecia, meu tio me pegou no colo e levou-me até seu quanto, onde após me acalmar contei tudo o que havia visto e presenciado, então após ouvir-me em silencio, meu tio me disse que essa eram uma passagem de sua juventude que ele abominava e queria esquecer e que o verdadeiro local em que os corpos estavam eram debaixo daquele ofurô, e  ele construiu o ofurô em cima pois estavam havendo escavações no local, a procura de um corpo de um rapaz da alta sociedade daquela cidade  que tinha sido morto a pouco tempo,depois de  um  seqüestro.
Pediu  me para não contar nada a ninguém,pois quem tinha conhecimento do acontecido, já não podia contar mais, que era meu avô um rico fazendeiro da região que comprou aquela casa de presente para seu filho único no aniversario de 18 anos que foi quando tudo aconteceu e que acobertou tudo que seu filho fez de errado e levou este segredo para seu tumulo, pois já havia morridos  a uns 5 anos. Meu tio chorou muito ao relembrar tudo, se desculpou por tudo e me levou de volta para minha casa, deste dia em diante nunca mais vi meu tio, e procuro esquecer aquele dia fatídico em que conhecia a outra face de uma pessoa que eu amava tanto.