A pirâmide perdida do Egito: Confirmada a quarta pirâmide descoberta perto de Gizé

21/07/2016 12:21
 
 
 
Djedefre foi o faraó que governou o Egito em torno de 2.556 aC, e durante o seu reinado, quase cinco milênios atrás, construíram a pirâmide mais alta e mais incrível do Egito, ainda maior do que as que foram construídas nas margens do Rio Nilo.
 
Uma equipe internacional de arqueólogos descobriu que as ruínas que podem ser vistas hoje em Abu Rawash, a poucos quilómetros do Cairo, correspondem à chamada pirâmide perdida, cujas pedras megalíticas deram a luz a muitas das lendas que cercam o reinado de Quéops .
 
Djedefre era filho e sucessor do trono de Khufu, o construtor da Grande Pirâmide de Gizé; sua mãe continua sendo um mistério para os arqueólogos e historiadores.
 
 
Esta pirâmide perdida foi uma das maravilhas do Egito antigo, a sua magnificência fez as três pirâmides do planalto de Gizé parecem brinquedos. Esta pirâmide "perdida" foi a mais alta de todas do complexo de Gizé e a sua pedra era de uma qualidade muito maior também. Durante anos pensou-se que esses restos foram apenas os de uma construção inacabada. De acordo com Zahi Hawass: "descobrimos que não era o caso, como as suas pedras foram utilizadas para inúmeras construções no Cairo.
 
"Durante os últimos 12 anos temos cavado o local, que trouxeram à luz grande parte da história da Quarta Dinastia do Egito antigo, mostrando lutas pelo poder e desvendando mistérios da construção das pirâmides", acrescentou.
 
Os restos da pirâmide de Djedefre hoje mal chegam a 10 metros acima do solo. Os restos desta grande pirâmide estão localizadas no topo de uma colina em Abu Rawash, uma área militarizada e restrita, que no fundo exibe uma nuvem negra impressionante do ar poluído do Cairo. A visão era muito diferente a milhares de anos atrás, quando a pirâmide de Djedefre se ergueu contra o deserto. Você pode facilmente ver as três majestosas pirâmides do planalto de Gizé, de onde a "maior" pirâmide de Djedefre ficava. Os arqueólogos acreditam que mesmo que esta antiga pirâmide era relativamente perto das outras três pirâmides, eles nunca compartilharam qualquer tipo de ligação
 
 
Hawass acredita que o filho de Quéops escolheu este lugar, a certa distancia de Gizé, porque ele queria um lugar de descanso independente, mas também porque o local onde a pirâmide seria construida ficaria muito mais perto do Deus do Sol .
 
De acordo com as últimas pesquisas, os arqueólogos acreditam que a pirâmide de Djedefre foi pelo menos 7,62 metros mais alta do que a de Quéops, que tem 146 metros (mais ou menos a altura de um prédio de 40 andares), tendo um ângulo de inclinação de 64 graus . A pirâmide foi construída com pedra calcária e granito vermelho que se originou a partir de Aswan, a 800 milhas de distância no Nilo. Cada uma das peças utilizadas para a construção da majestosa pirâmide podia ter pesado até 25 toneladas e arqueólogos acreditam que precisariam de até 370 pessoas para movê-lo.
 
Os arqueólogos estimam que a maioria das 15.000 pessoas que chegaram ao canteiro de obras nos oito anos de construção, eram agricultores que trabalharam no processo de construção quando o rio Nilo foi inundado, impedindo-os de trabalhar em suas plantações.
 
 
Uma abertura na superfície, marca o que foi um dia a passagem para uma câmara subterrânea, agora expostas ao ar livre, o que ajudou a identificar que argamassa foi utilizada na primeira fase de construção para consolidar o interior da câmara onde o Faraó iria descansar na sua jornada para a vida futura. O chão está repleto de fragmentos de pequenos vasos que se acredita-se terem sido usadas para fazer oferendas a Djedefre.