A Indonésia tem a chave de uma civilização perdida com 20.000 anos de idade

21/08/2016 10:14
 
 
 
Com inúmeras descobertas sendo feitas ao longo dos últimos 10 anos, é obvio hoje que civilizações existiram na Terra muito antes do que se acreditava anteriormente. Uma dessas antigas civilizações 'perdidas' poderiam ter mais de 20.000 anos e uma delas pode ter cido encontrada na Indonésia. Se essas estruturas vierem a ser acreditadas como reais, nós estariamos olhando para uma nova página em nossos livros de história, uma que muda tudo o que sabemos sobre civilizações, origem da humanidade e humanos na Terra.
 
 
De acordo com estudos aprofundados do geólogo Dr. Danny Hilman o sitio poderia esconder os restos de um templo perdido que poderia ter pelo menos 20.000 anos de idade. Hilman acredita que o local (Gunug Padang) é de grande importância cultural e histórica, uma vez que contém os restos de uma enorme pirâmide que foi construída a cerca de 20.000 anos atrás, por uma civilização perdida - acrescentando que pode ter sido construída para o culto ou como um instrumento astronômico gigante.
 
 
"Tudo o que foi nos ensinado sobre as origens da civilização pode estar errado", diz Danny Natawidjaja, PhD, geólogo sênior do Centro de Investigação em Geotecnologia no Instituto de Ciências da Indonésia. "Velhas histórias sobre Atlântida e outras grandes civilizações perdidas da pré-história, que foram ao longo do tempo descartadas como mitos por arqueólogos, agora podem ser acreditadas como reais."
 
A estrutura gigante que poderia ser a chave para uma civilização perdida foi descoberta a mais de 100 anos atrás, quando os blocos megalíticos de basalto colunar foram descobertos espalhados em meio as árvores densas e vegetação rasteira. O local é chamado de Gunung Padang que significa "Montanha de Luz", ou "Montanha da Iluminação".
 
 
 

A datação por radiocarbono mostram resultados chocantes

 
A primeira datação por radiocarbono foi feito por Danny Natawidjaja produzindo datas de cerca de 500 a 1.500 aC, que estava nos limites de datas aceitas por acadêmicos tradicionais. No entanto, todos ficaram surpresos quando Natawidjaja e sua equipe ampliaram sua investigação usando brocas tubulares que lhes permitiu atingir resultados mais aprofundados sobre a idade. As primeiras amostras mostraram evidências de estruturas feitas pelo homem muito abaixo da superfície. No entanto, isso não foi a descoberta mais surpreendente ...  Materiais orgânicos que foram trazidos para cima por uma equipe de perfuração apresentou uma nova datação entre - 3.000 aC a 5.000 aC . Vendo estas variações a equipe de perfuração foi ainda mais longe e descobriram datas inimaginaveis... Em uma profundidade de cerca de 90 pés, a datação por radiocarbono mostrou que a estrutura remonta a cerca de 20.000 aC a 22.000 BC.
 
 
"Isso não era o que os meus colegas no mundo da arqueologia esperavam ou queriam ouvir", diz Natawidjaja
 
Por que isso é um problema? Bem, porque data de aproximadamente 9000 aC, o que corresponde a antes de um período conhecido como o "Paleolítico Superior", que foi o período da última idade do gelo, num momento em que os seres humanos antigos não tinham habilidades ou conhecimentos para criar tais estruturas de acordo com arqueólogos tradicionais.
 
Dr Hilman, que é geólogo sênior do Centro da Indonésia, acredita que mais provas da origem da estrutura podem ser achadas ainda mais abaixo no subsolo.
 
"As pessoas pensam que a idade pré-histórica era primitiva, mas este monumento prova que estavam errados", disse o Dr. Hilman
 
 
No entanto, assim como acontece com muitas outras descobertas que desafiam alguns estudiosos tradicionais, há muito ceticismo em torno da estrutura gigantesca de Gunung Padang. 
 
Outros especialistas são muito céticos, e sugerem que é quase impossível que em tempos tão remotos, os seres humanos possuíam os meios e tecnologia para construir tal estrutura.
 
Este antigo sítio localizado na Indonésia, como muitos outros ao redor do mundo, acredita-se ser a prova definitiva de que comprova que antigas civilizações avançadas existiam no passado distante da Terra, com capacidades e conhecimentos para construir estruturas e monumentos que desafiam a nossa própria capacidade atual.