A História Real de Vlad Tepes - Filme Drácula: A História Nunca Contada

23/10/2014 22:59
Conheça a verdadeira história de Vlap III, o homem que inspirou Bram Stoker a criar o personagem Drácula, um guerreiro feroz que botava medo nos inimigos através do cruel método do empalamento...
No final tem um vídeo sobre o assunto...
 
Não aguentava mais ver filmes sobre zumbis ou de vampiros bonzinhos ao estilo Crepúsculo? Pois então comemore, pois a Universal Pictures trouxe para os cinemas um novo filme de vampiros: Drácula: A História Nunca Contada. Segue sinopse:
 
Os habitantes da Transilvânia sempre foram inimigos dos turcos, com quem tiveram batalhas épicas. Para evitar que sua população fosse massacrada, o rei local aceitou entregar aos turcos centenas de crianças. Entre elas estava seu próprio filho, Vlad Tepes (Luke Evans), que aprendeu com os turcos a arte de guerrear. Logo Vlad ganhou fama pela ferocidade nas batalhas e também por empalar os derrotados. De volta à Transilvânia, onde é nomeado príncipe, ele governa em paz por 10 anos. Só que o rei Mehmed (Dominic Cooper) mais uma vez exige que 100 crianças sejam entregues aos turcos. Vlad se recusa e, com isso, inicia uma nova guerra. Para vencê-la, ele recorre a um ser das trevas (Charles Dance) que vive pela região. Após beber o sangue dele, Vlad se torna um vampiro e ganha poderes sobrehumanos.
 
Uma coisa eu lhe digo, é um filme mais de ação do que de terror! E como todo filme hollywoodiano, é cheio de exageros e inverdades. Vamos conhecer o verdadeiro Vlad Tepes
 
Um Pouco de História
 
 
Mapa do Império Otomano de 1481. Veja a região da Valaquia.
A Transilvânia é logo a direta.
Para saber quem foi Vlad Tepes temos de saber um pouco de história, não adianta. Vou ser bem sucinto nesta parte, para vocês não ficarem entediados, mas é importante saber.
A Romênia era um país que estava dividida entre o mundo cristão e o mundo muçulmano (Turquia).
 
No século XV ela estava em guerra contra o Império Otomano, que lutava para conquistar a região. Vlad II defendia a região romena da Transilvânia de ataques dos turcos com sucesso, tanto que chamou a atenção do sacro imperador romano Sigismundo de Luxemburgo.
 
Em 1431, Vlad II entrou para a Ordem do Dragão, uma fraternidade secreta militar e religiosa, cujo objetivo era proteger a igreja católica contra heresias, criada pelo sacro imperador romano Sigismundo e sua segunda esposa, Bárbara Von Cilli. Outro objetivo da Ordem, era organizar uma cruzada contra os turcos, que haviam invadido a Península dos Balcãs.
 
É importante saber que quando Vlad II entra para a Ordem do Dragão, ele ganha o apelido de Dracul que vem do latim draco ("dragão"), e passa a ser chamada Vlad II Dracul.
 
Símbolo da Ordem do Dragão
Em 1436, ele conseguiu matar Alexandru I e se tornar Princípe da Valaquia,
 
Só que Vlad II Dracul virou a casaca e se aliou a quem estava combatendo: os Otomanos! Ele se uniu ao sultão turco Murad II e passou a combater Sigismundo e todos da Ordem do Dragão. Várias vezes, Vlad II Draculacompanhou o sultão em ataques por toda a Transilvânia, contra os seus compatriotas transilvanos. Mas que belo !@#$!@#$!@#$!@#$!#@$.
 
É claro que o sultão turco Murad II ficou desconfiado com essa história de vira casaca e armou uma emboscada para Vlad e seus dois filhos (Radu e Vlad III). Vlad IIDracul foi preso, acusado de deslealdade. Agora que vem o pior, além de traidor, veja o que ele vez para salvar seu pescoço: deixou seus dois filhos como reféns na cidade turca de Adrianopla.
 
Ele voltou para a Romênia e reassumiu o trono de Príncipe da Valaquia com o apoio dos turcos, e teve que pagar muitos tributos e outros favores a eles. Só que a vida não era fácil naquela época. Vlad II Dracul tinha de se preocupar também com a Hungria, que surgia como potência. Em 1447 a Hungria invade a Valáquia e mata Vlad II Dracul e seu filho mais velho, Mircea.
 
 
Regiões da Romêmia. Em verde a Transilvânia, em azul a Valáquia e a Moldávia em vermelho.
 
Vamos falar Finalmente de Vlad Tepes
 
Agora sim podemos começar a falar do de Vlad III, também conhecido como Príncipe da Valáquia, Vlad, o Empalador, Vlad III Draculea ou Vlad Țepeș. Ele nasceu no ano de 1431, na cidade de Sighișoara na região conhecida como Transilvânia - Romênia. A casa onde ele nasceu ainda está de pé nos dias de hoje.
 
Casa onde Vlad Tepes nasceu. Hoje é um restaurante. Clique aqui para ver via Google Street View
 
 
Com o pai sendo Princípe da Valaquia, a educação de Vlad III foi típica a dado para os filhos da Nobreza pela Europa, e ele aprendeu tudo o que era demandado a um Cavaleiro Cristão sobre guerra e paz.
 
Mas como vimos, sua vida mudou quando seu pai entregou ele e seu irmã Radu para os turcos em troca de sua liberdade em 1444. Ele permaneceu refém em na cidade turca de Adrianopla até 1448.
 
Esses anos de cativeiro, foram fundamentais na formação do seu caráter. Drácula passou a desprezar a vida e ter uma baixa estima pela natureza humana. Sabendo que ao menor deslize de seu pai, sua vida lhe seria simplesmente tirada (seu pai era Principe da Valaquia, mas respondia aos turcos).
 
Vlad III aprendeu cedo que em política, a moral é algo totalmente inútil (é assim até hoje, perceberam nas eleições). Aprendeu a língua turca (a qual sabia como um nativo) e se deliciou dos prazeres do harém do sultão (já que seu cativeiro não era algo tão restrito assim). Porém, é relatado pelos seus captores que desenvolveu uma reputação de trapaceiro e ardiloso, insubordinando e bruto, inspirando medo aos seus próprios guardas.
 
Retrato de Vlad II Dracul pai de Vlad Tepes
Em 1447, ele fica sabendo que seu pai Vlad II Dracul morreu vítima de uma emboscada por João Hunyadi da Hungria, e que seu irmão Mircea, foi cegado com ferro em brasa e queimado vivo. Esses dois fatos também fortificaram a sede de vingança.
 
Em 1448, com o apoio dos turcos, foi tentar tomar o trono Valaquia, e ser o nome Príncipe da Valaquia. Ele até ficou 2 meses no trono, até ser expulso pelos húngaros e fugir para a Moldávia. Este retorno tardio de Vlad III teria confundido os moradores da região, que pensaram ser Vlad II retornando anos após a sua morte. Isso teria ajudado a criar a lenda de sua imortalidade. 
 
Vlad III passou a assinar vários documentos com o sobrenome Draculea, que significa "filho do dragão", uma referência a seu pai, Vlad II Dracul.
 
Draculea ficou exilado até 1451, quando voltou e se curvou a João Corvino (ou Hunyadi János) - que matou seu pai e irmão - na Transilvânia. Por interesses políticos mútuos, Drácula e Hunyad se aproximaram de modo que Hunyad foi o último tutor de Drácula. Com ele, Draculeaaprendeu muito sobre estratégia antiturca, pois participou de muitas campanhas contra os turcos em regiões que hoje conhecemos como antiga Iugoslávia. Ele ficou sob a proteção de Corvino, até 1456 esperando por uma oportunidade de retomar a Valáquia dele.
 
Em 1456 esse dia chegou, pois Corvino foi morto em guerra e ele retomou o trono de Príncipe da Valaquia, e político que era, apoiou os turcos por um período, até se consolidar no poder, o que aconteceu rapidamente, onde se manteve até 1462.
 
Então vemos que Vlad III Draculea, que foi enviado pelos turcos para ser Princípe da Valaquia, vira a casaca, como o pai, e passa a ser perseguidor dos turcos!
 
Retrato de Vlad III Draculea, Vlad Tepes, Vlad Príncipe da Valáquia ou Vlad o Empalador
Vlad, o Empalador
 
 
Pintura mostrando Vlad Tepes
comendo junto aos empalados!
Você já reparou que a maioria dos Seriais Killers teve problemas na infância? Muitos foram abusados pelos próprios pais, apanhavam muitos, eram feitos de escravos etc. A forma como forma criados acaba sendo determinante para a vida adulta. Veja o exemplo do serial killer de Goiânia-GO, o vigilante Thiago Henrique Gomes da Rocha, de 26 anos. Ele matou mais de 40 pessoas e disse que sofreu abuso sexual na infância.
 
Por isso tive contei como foi a infância de Vlad III Draculea. Você acha que ele ia crescer normal? Quando ele resolveu combater o Império Otomano, o cara foi o mais brutal possível!
 
A maioria das atrocidades remetidas a ele são do perído de 1456 até 1462, quando era Príncipe da Valáquia. Durante esse tempo que ele lançou seu próprio ataque contra os Turcos. Seu ataque foi relativamente bem sucedido inicialmente. Suas habilidades como guerreiro e sua bem conhecida crueldade fizeram dele um inimigo temido.
 
Vlad adora matar usando um método chamado Empalamento, que é um método de tortura e execução que consistia na inserção de uma estaca pelo ânus, vagina, ou umbigo até a morte do torturado. A vítima, atravessada pela estaca, era deixada para morrer sentido dores terríveis, agravadas pela sensação de sede. A vítima demoraria até 48 horas para morrer.
 
É difícil estabelecer estatísticas sobre aquela época, mas segundo relatos alemães, parece que em um de seus saques, quando matou um de seus rivais e empalou todos os habitantes da cidade de Amlas, Drácula matou cerca de vinte mil pessoas, entre mulheres, homens, crianças.
 
Outra cidade ligada ao nome de Drácula, é Brasov. Dizem que foi em suas colinas que as vítimas de Vlad eram empaladas e deixadas morrerem e apodrecerem ao sol. Conta-se que em uma destas colinas, Drácula jantou e tomou vinho entre seus cadáveres.
 
Há também uma narrativa russa que fala de um boiardo, que veio para uma festa em Brasov e não aguentando o cheiro do sangue coagulado, fechou suas narinas com os dedos, num gesto de repulsa. Drácula mandou que fosse trazida uma estaca e a exibiu ao visitante dizendo: "Fica ali, bem afastado, onde o mau cheiro não vai incomodar-te". E mandou empalar o boiardo.
 
Certa vez, dois súditos se esqueceram de tirar o chapéu para reverenciar sua chegada e, por causa disso, Vlad mandou pregar os chapéus em suas cabeças.
 
Também dizem as lendas que um dia Vlad viu um aldeão com a camisa toda suja e lhe perguntou se sua esposa era saudável. O aldeão respondeu que sim e sua mulher teve ambas as mãos decepadas; e Vlad arrumou outra esposa para o aldeão e lhe mostrou o que acontecera com a antiga, para que servisse de exemplo. Vlad tinha prazer em comer em frente a suas vítimas com os corpos empalados, ouvindo seus gritos de agonia.
 
 
Calma! São empalados de mentira. Eles te recepcionam quando você chega ao Castelo de Bram
 
Os últimos anos de vida
 
Em 1462, os turcos retomam a Valaquia e Vlad III Draculea é forçado a pedir asilo na Hunguia, onde ele é preso e fica 12 anos em uma torre. Aqui a história é um pouco confusa.... Então, não vou me aprofundar. O importante é que o cara não desistia de ser o Príncipe da Valaquia e em 1476 mais uma vez estava pronto para atacar. Ele conseguiu ficar no trono alguns meses, mas logo os turcos vieram e o mataram. Era o fim de Vlad III Draculea...
 
 
Como foi muito cruel, Vlad Tepes não conseguiu apoio do povo contra os turcos e foi morto.
 
 
Afinal, é vilão ou herói?
 
Depende pra quem perguntar!
 
No folclore romeno, não é considerado totalmente um vilão. Na Valáquia, Vlad é homenageado em baladas populares e lendas camponesas, principalmente nos vilarejos das montanhas que cercam o próprio castelo de Drácula, região onde ele é mais lembrado. Vlad é realmente parte importante na reconstrução do passado. Os camponeses se orgulhavam dos feitos militares de Drácula, não importando os métodos por ele utilizados para tanto. O fato dele ter lutado para expulsar os "não-cristãos" parecem aliviar sua culpa pelos empalamentos dos compatriotas.
 
Já para alemães, turcos e algumas russos, o cara é um tirano.
 
Pintura retratando muitos corpos empalados por Vlad Tepes, herói para uns, vilão para outros...
 
Inspiração para o Conde Drácula, do romance Drácula
 
 
1ª Edição do livro Dracula de
Bram Stoker.
Diz a lenda que Vlad Tepes (Tepes é empalar em romeno) foi a inspiração para o Conde Drácula, personagem fictício que dá título ao livro de Bram Stoker escrito em 1897. O personagem é o mais famoso vampiro da ficção, e segundo o Guiness Book, o monstro fictício com maior número de aparições na mídia, diretas ou indiretas.
 
É claro que o romance se inspirou na história de Vlad Tepes, não a recriou. Isso fica claro quando ele fala que o castelo de Drácula fica na Transilvânia e não na Valáquia, que foi o local que por tantas vezes Vlad III Draculea tentou ser o Príncipe.
 
Conhecido habitualmente como o "Castelo do Drácula", é promovido como a residência da personagem que dá título ao Drácula de Bram Stoker e dá última vez que ouvi notícias dele, estava a venda por U$ 170 milhões.
 
A crença que o conde Drácula é morto vivo veio de um fato que em uma de suas muitas batalhas ele levou um forte golpe na cabeça, que o deixou em coma. Depois de ver o seu líder cair seus homens bateram em retirada levando consigo seu corpo e antes da fuga ser realizada, Vlad III acordou do coma como se nada tivesse acontecido e logo depois de recobrar os sentidos retornou à batalha levando seu exército à vitória e a uma de suas mais sangrentas batalhas, criando assim a crença que ele havia retornado dos mortos como um morto vivo.
 
Castelo de Bram, que serviu de inspiração para o livro
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Fontes (acessadas em 22/10/2014):
- Wikipedia.pt: Vlad, o Empalador
- Wikipedia.pt: Valáquia
- Wikipedia.pt: Empalamento
- Wikipedia.pt: Transilvânia
- Wikipedia.pt: Império Otomano
- Wikipedia.pt: Conde Drácula
- Wikipedia.pt: Castelo de Bran
- Adoravel Noite: Vlad Tepes
- O Aprendiz Verde: A Verdadeira História de Drácula
- Veja.com: Serial killer de Goiânia diz que sofreu abuso sexual
- Assombrado.com.br: Castelo do Conde Drácula está a Venda