A cidade Perdida de Rhapta é encontrada

06/06/2016 14:27

Graças as baixissimas marés, um mergulhador viu uma parede de 4 km de 2.000 anos de idade, que pertencia à uma antiga cidade perdida .

 
 
 
De acordo com os arqueólogos, a descoberta da cidade perdida de 2000 anos de idade vai alterar completamente a nossa compreensão da história.
 
Depois de uma maré extraordinariamente baixa, se revelou o que parecia ser os restos de uma parede de 4 km de comprimento, um mergulhador descobriu o que poderia ser uma das descobertas arqueológicas mais importantes do último século debaixo d'água. Segundo os pesquisadores, Allen Sutten (mergulhador local) poderia ter encontrado os restos de Rhapta, uma cidade antiga que remonta cerca de 2.000 anos.
 
Rhapta foi um mercado importante, disse ter existido em algum lugar na costa sudeste do Continente Africano. Ele ganhou destaque durante o primeiro século "EC".
 
Antes que as marés baixas revelassem a parede gigante ao largo da costa da África, havia um par de teorias de onde a cidade seria localizada. No entanto nunca antes foi encontrado provas conclusivas comprovando que a cidade "perdida" tinha existido realmente
 
 
Com base no antigo "périplo do mar eritreu", Rhapta era "o último mercado de Azania" localizada dois dias ao sul das ilhas Menouthias. No entanto, Claudius Ptolomeu, um próspero comerciante disse que Rhapta era localizada "onde o rio com o mesmo nome entra no Oceano Índico em frente à Ilha de Menouthias. '
 
A cidade perdida de 'Rhapta' foi documentada na Geografia de Ptolomeu como a primeira metrópole da África. De acordo com Ptolomeu, foi uma das cidades mais ricas de sua época e foi considerado entre os comerciantes como um centro de comércio de armas de metal e casco de tartaruga.
 
Desde que a cidade "desapareceu" cerca de 2.000 anos atrás, tinha sido encontrado poucas evidências para apoiar a sua existência.
 
De acordo com George Wynn Brereton um lingüista, antropólogo e historiador, Rhapta poderia ter sido implantada: na foz dos rios Mkulumuzi e Sigi, milhas de árvores ao norte de "Dar es Salaam", em algum lugar no rio de Rufiji, em frente "Ilha de Mafia, Tanzania". Entretanto, desde que não havia nenhuma evidência conclusiva as teorias não puderam ser comprovadas.
 
Antes de descobrir as ruínas de "Rhapta", seus restos foram vistos a partir de um helicóptero. Sutten decidiu averiguar o que ele tinha visto a partir do ar e decidiu ir para um mergulho. Allan levou quase três anos para identificar a localização exata da cidade perdida, que segundo muitos, poderia mudar a história Africana para sempre.
 
Curiosamente, as ruínas são visíveis apenas quando as marés vivas da região são extremamente baixas.
 
 
Veja mais sobre a cidade perdida no video que fala sobre a descoberta (com mais imagens e filmagens) 
 
De acordo com o professor Felix Chami - um arqueólogo da Tanzania - a descoberta poderia alterar completamente a nossa compreensão da história. Prof. Chami encontrou uma série de artefatos na Ilha de Mafia e Juani revelando que a África Oriental era parte integral do comércio do Oceano Índico.
 
Os investigadores esperam que as futuras expedições de mergulho vão revelar os inúmeros tesouros que a antiga cidade levou quando desapareceu há dois milênios.
 
A descoberta prova que existem inúmeras cidades ao redor do mundo que desapareceram há milhares de anos devido a vários fenômenos catastróficos, como inundações.